Por Giovanni Sá, editor do Farol de Notícias

Muita gente pode até me jogar no ‘fogo do inferno’, mas temos que reconhecer que a gestão do prefeito Luciano Duque, ao seu final, vai deixar um legado para Serra Talhada.

Sabemos que nada é perfeito e, que, nestes quase 5 anos, poderíamos ter convivido sem cooptações, provocações à imprensa, atraso no pagamento de fornecedores e contratados, obras inacabadas, inchaço da máquina pública entre outros males.

Mas, como a moeda, o governo Duque tem duas faces. Não tem como negar os avanços em saúde e educação, por exemplo. A construção de duas escolas modernas com 12 salas nos bairros do Bom Jesus e Ipsep, recém anunciado pelo governo, vai mudar  cotidiano dessas comunidades.

É triste não ter fardamento, mas houveram avanços importantes. Questiono, porém, se houve salto de qualidade na educação.

Na saúde o governo mais duquista do que petista, vai cumprindo a meta de atender a saúde básica com a construção de postos de saúde na maioria os bairros.

É verdade que alguns estão inacabados e a paralisação da UPA 24 horas é um escândalo. Mas, temos observado que o prefeito tem se esforçado. Triste é ver que o Samu virou uma peça de museu. Até quando?

Por fim, o prefeito que quebrou o ciclo vicioso da troca de família no poder, poderia se esforçar mais um pouquinho e não se acomodar neste segundo mandato, provando que pode continuar fazendo a diferença na política de Serra Talhada, ou sair de cena no patamar da mesmice. E tenho dito!

 

 

Compartilhe isto: