Publicado às 12h27 deste domingo (20)

Atualizado às 18h30 desta segunda-feira (21)

O Antônio de Bia, é uma das figuras mais populares de Serra Talhada, suas origens estão diretamente atreladas a Praça Manoel Pereira Lins, a antiga ‘Rua da Favela’.

Antônio tem um história de vida bastante peculiar, já que começou a trabalha muito jovem. “Com 15 anos eu já estava trabalhando, a minha vontade era ajudar a minha mãe que tinha ficado viúva do pai há pouco tempo”, relembrou, durante conversa com o Farol.

Por falta de opções de trabalho, restou ao jovem Antônio de Bia apostar na criatividade e no seu potencial como empreendedor. Por tabela, acabou se transformando no pioneiro na venda de revistas em Histórias em Quadrinhos (HQ) da região.

“Pensei no que fazer e então comecei a vender figurinhas e revistas na frente dos cinemas e depois fui vender as revistas nas calçadas das lojas. Primeiro foi em frente ao atual prédio onde ficava a empresa Tupan Construções e depois na calçada da loja A Majestosa, e só depois fui colocar a minha banca na praça”.

 

PROBLEMA DE SAÚDE E VENDA DA COLEÇÃO

Antônio de Bia passa por um momento delicado, recentemente esteve bastante doente e estar em processo de recuperação.

Durante a enfermidade, passou por dificuldades financeiras, fato que ainda persiste. Portanto, Antônio não ver outra saída senão vender e leiloar peças de coleções as quais guarda com muito carinho.

“Tive doente e estou precisando de dinheiro, então vou vender os meus filmes de faroestes, tenho mais de 6 mil, e também vou vender o meu álbum de figurinhas “Heróis do tri”, uma álbum completo com todas as figuras dos jogadores da seleções de 1958, 62 e 70. E ainda vou leiloar uma camisa do Santa Cruz, que foi feita para comemorar o bicampeonato de 1986 e 87”.

Que tiver interesse em ajudar Toin e só procura-lo na sua residência, que fica localizada na Praça Manoel Pereira Lins.

A BANCA DE REVISTA

Foi na banca de revista, que ficava em frente a agência do Banco do Brasil, entre as décadas de 1980 e 1990, que ‘Toin’ fez história e passou a fazer parte da vida cotidiana do serra-talhadense, que buscavam através da leitura de gibis, revistas e jornais, conectar-se com o Brasil e o mundo, bem como viajar pelo universo mágico das obras de ficção.

Desta fase, o maior jornaleiro serra-talhadense de todos os tempos, contou a nossa reportagem algumas passagens bastantes curiosas e inusitadas.

“Uma coisa bastante interessante foi que a banca só foi arrombada uma única vez, mas o ladrão não levou nada de muito importante, somente revistas que eram proibidas para menores e que ficavam em uma caixa muito bem guardadas”, relatou.

Segundo Antonio de Bia, um senhor de 70 anos, na época, também fez parte da história da banca. “Sempre que eu ia viajar para o Recife, comprar revista, ele aparecia e perguntava: ‘Toin tu tem dinheiro pra comprar as revistas (as que ele tinha preferência)? Se não tiver me avisa que eu te dou o dinheiro? Quando eu chegava de viagem o senhorzinho madrugava e ia esperar eu abrir banca e ficava lá no cantinho olhando as aguardadas revistas”, relembra o Antonio.

SERVIÇO

Para ajudar Antonio de Bia ligue para o fone 87 – 9 99058722 ou faça depósito com comunicado ao correntista através da Caixa Econômica Federal (CEF)  Ag- 0914 Operação 013- C/C- 049939-1 em nome de Antonio Avelino Magalhães.

 

 

 

 

 

Compartilhe isto: