Publicado às 04h06 desta quinta-feira (28)

Após o Tribunal de Contas do Estado (TCE) ter reprovado as contas do prefeito Luciano Duque (PT), referentes ao exercício de 2013, pela primeira vez o gestor admitiu que está preocupado quando chegar o momento da Câmara Municipal votar o parecer do tribunal em plenário.

Falando ao programa Frequência Democrática, na rádio Vila Bela FM, o prefeito garantiu que não cometeu irregularidades e pontuou que os vereadores não podem agir motivados pela ‘vingança’.

“Preocupado eu estou, é meu nome, é minha vida, é minha história. Uma coisa eu posso dizer, espero que as pessoas não ajam com espírito de vingança. Mesmo aqueles que estiveram dentro do governo foram bem tratados e sabem a forma que eu conduzo o governo de Serra Talhada. Não estou me locupletando, não estou praticando enriquecimento, não uso a máquina para favorecer minha família ou quem quer que seja. Eu tenho procurado, mesmo na dificuldade, governar para a maioria da população e cuidando, tento sempre o olhar no cuidado das pessoas. Se as pessoas, por acaso, quiserem me perseguir ou achar que eu cometi erros, paciência. Não posso fazer absolutamente nada”, disse Duque, resignado.

De acordo com o prefeito, as irregularidades apontadas pelo TCE são formais. Entre elas, ter liberado recursos para ajudar o Serra Talhada Futebol Clube. O prefeito também comentou o fato de ser punido com uma multa de mais de R$ 60 mil.

“Não é justo que um gestor, posso até ter cometido erros, mas é justo que você tenha que devolver R$ 60 mil do seu bolso, do seu provento, por um erro cometido, um erro sanável? Não é um erro insanável, uma coisa é você ser condenado quando usou recurso em benefício próprio, pegou o e desviou, colocou em uma conta ou está em uma conta secreta. Não, eu não fiz nada disso”, disse o prefeito, reforçando:

“Eu tenho a minha consciência tranquila que se eu estou sendo condenado foi por falhas processuais ou falhas dentro da gestão que não comprometem de maneira nenhuma a gestão pública. E se nós formos analisar o que de bom nós fizemos com esses recursos, como valorizar o futebol de Serra Talhada, eu acho que não deveria ser condenado”.

Compartilhe isto: