Fotos: Farol de Notícias/Max Rodrigues

Publicado às 04h22 deste domingo (28)

Cerca de 2 mil pessoas compareceram ao Ginásio Poliesportivo Egídio Torres de Carvalho, nesse sábado (27), em Serra Talhada, e fizeram o lançamento festivo da pré-candidatura da vereadora Marília Arraes ao governo de Pernambuco. Pelo menos 70 diretórios do PT estiveram representados com caravanas de todas as regiões, inclusive, da capital. A organização do evento calculou que 3 mil pessoas compareceram ao ginásio.

A ideia do ato público foi do prefeito Luciano Duque (PT), que aproveitou para mandar um recado ao senador Humberto Costa e ao ex-prefeito do Recife, João Paulo. Nos bastidores, há comentários que os dois – que não compareceram ao evento – estariam trabalhando para selar uma aliança com o PSB em torno da reeleição do governador Paulo Câmara.

“O PT já escolheu a candidata ao governo do Estado que é Marília Arraes. Este momento marca um divisor de águas na história de Pernambuco, que pela primeira vez uma candidatura começa a se forjar do sertão ao litoral. Esta candidatura tem uma origem, uma história, o maior líder popular que forjou a sua história em Pernambuco. Mas queria mandar um recado ao meu companheiro Humberto Costa, ao amigo João Paulo, que a unidade já está construída, a candidatura de Marília ganhou aderência não do Partido dos Trabalhadores, mas do meio da massa, no meio do povo de Pernambuco”, disparou Duque, em discurso emocionado.

ARRAES E PSB

O curioso é que o ato foi marcado pela imagem do ex-governador de Pernambuco, Miguel Arraes, um dos fundadores do PSB que faleceu há 15 anos.

Jingle como ‘Arraes taí, Arraes taí de novo” foi executado exaustivamente na quadra esportiva. No fechamento do discurso, Luciano Duque aproveitou para ‘alfinetar’ o PSB e o governo Paulo Câmara.

“Marília, você é acima de tudo uma mulher guerreira. Você vai mostrar a diferença a esses que deram as costas para o povo de Pernambuco, no momento que mais precisou. É muito bom, é muito fácil, querer o tempo do partido. É muito bom, é muito fácil, querer Lula no palanque. Agora, na hora de empunhar a bandeira e ir pra luta se escondem e dizem que querem o nosso apoio. Nós não queremos este acordo. O povo não quer este apoio.”, disse Duque, referindo-se a uma possível aliança com o PSB.

Compartilhe isto: