Fotos cedidas ao Farol de Notícias

Publicado às 14h15 desta quinta-feira (24)

Uma das maiores empresas com sede em Serra Talhada, que distribui seus produtos para todo Brasil, também sofre com o reflexo da greve nacional dos caminhoneiros, que já dura quatro dias.

Segundo o empresário João Daniel, proprietário da Cedan Rações, a falta de matéria prima vai levar empresa a “dar folga a alguns funcionários a partir desta sexta-feira”.

“Estamos aguardando a chegada de 10 carretas que estão paradas com milho, sorgo e soja. E se não chegar o milho até a manhã desta sexta-feira (25) nós vamos começar a mandar alguns funcionários para casa, a empresa têm 153 funcionários, e no sábado todos serão dispensados. A gente está com 12 caminhões parados em diversos pontos do país e temos 5 parados dentro da empresa”, confirmou João Daniel, em conversa com o FAROL.

PREJUÍZOS

O empresário não sabe precisar em valores o prejuízo, mas acredita que “pode chegar a 30% do faturamento mensal”. Apesar disso, João Daniel apoia o movimento, que segundo ele, se justifica em função dos aumentos consecutivos dos custos dos frentes puxados pelos “altos preços dos combustíveis”.

“Mesmo com os prejuízo a Cedan Rações apoia 100% as paralisações, porque nós somos a favor do que os caminhoneiros estão fazendo, nós estamos juntos! Tá nós causando prejuízo, tá! Mas não tem problema. Mas o prejuízo maior é a gente pagar o combustível em dólar, se a gente vende o nosso produto em real. Então eu não tenho como vender minha ração em real e comprar o combustível em dólar”, desabafou o empresário, cravando: ‘o movimento não tem cores partidárias” e “que estão levando a bandeira verde e amarela do país”.

Compartilhe isto: