Da Folha de PE

A indiana Soumya Swaminathan, ex-campeã mundial de xadrez na categoria juvenil, anunciou que não disputará um campeonato da modalidade no Irã para protestar contra a obrigação do uso do véu islâmico. Desde a revolução islâmica de 1979 o Irã obriga as mulheres a utilizar o véu nos espaços públicos.

Swaminathan afirmou que o código de vestimenta do Campeonato de Xadrez da Ásia, em julho, viola seus direitos. “Eu considero a lei iraniana que torna compulsório o uso do véu uma violação direta dos meus direitos humanos básicos, incluindo meu direito à liberdade de expressão e meu direito à liberdade de pensamento, consciência e religião”, disse.

“Diante das atuais circunstâncias, parece que a única forma de proteger meus direitos é não viajar ao Irã”, escreveu a enxadrista de 29 anos em sua página do Facebook.s

Em 2016 a campeã americana de xadrez Nazi Paikidze-Barnes boicotou o Mundial em Teerã por se recusar a usar o hijab. Em 2017, a Federação de Xadrez do Irã proibiu Dorsa Derakhshani de participar de competições sem o véu. Agora ela defende os Estados Unidos.

Swaminathan é a 97ª colocada no ranking mundial e a quarta melhor indiana nesta classificação. O Campeonato de Xadrez da Ásias será disputado de 27 de julho a 4 de agosto em Hamadan.

Compartilhe isto: