O Papa Francisco mostrou, mais uma vez; que está fazendo uma diferença imensa na Igreja Católica. Durante a Missa do Galo, nesse sábado (24), Francisco voltou a criticar o modelo capitalista de celebração do Natal e avançou nas críticas ao sistema.

“O Natal se tornou uma festa em que os protagonistas somos nós mesmos, ao invés de Jesus; em que as luzes do comércio lançaram a luz de Deus nas sombras; em que estamos preocupados com presentes, e somos frios com aqueles que são marginalizados”, afirmou Francisco aos 1,2 bilhão de católicos do mundo.

Segundo o líder da igreja Católica, o Natal foi entregue ao consumismo. “Este mundanismo tomou o Natal como refém, precisa ser libertado”.

As palavras de Francisco deveriam tocar em cada coração e seria muito bom que provocasse mudanças. Estamos jogando ao vento, diariamente, lições e gestos de solidariedade. Estamos preferindo o presente bem decorado aos gestos mais simples de um abraço e de uma doce declaração de amor.

Mas o nosso desafio é diário. O que fazer quando terminar a euforia das festas natalinas? Vamos nos preparar para o grande bacanal do Carnaval? Que exemplos podemos construir ao longo dos próximos 365 dias do ano.

Em Serra Talhada não é diferente. Nosso dia a dia é de construções de muros e não de pontes. Nos entrincheiramos numa luta pelo poder mesquinha e bicolor. Temos sede de poder e não de solidariedade.

O que fazer após o sol nascer? Seria muito bom que as palavras de Francisco nos revelassem novos horizontes. Este é o meu sonho de Natal. Um abraço a todos!

Compartilhe isto: