Fotos: Farol de Notícias/Max Rodrigues

Publicado às 04h10 deste domingo (4)

As fotos em destaque nesta semana do “Viagem ao Passado” é do antigo armazém de venda de couro do casal Antônio Luiz e Dona Rosita. O prédio que fica localizado no início da Rua Cornélio Soares, em Serra Talhada, é marcado por diversas histórias, principalmente para quem viveu na referida rua entres as décadas de 1960, 70 e 80.

As imagens do reporter fotográfico do Farol, Max Rodrigues, revelam os traços da arquitetura que predominou nas edificações construídas na cidade em meados do século XX, com portas e teto bastante altos.

Dona Rosita era alemã, seu nome de batismo era Tereza Dolle Geiger, e chegou a Brasil no final da primeira metade do século passado, veio no rastro deixado pela família Kehrle, que chegou em Serra Talhada ainda na década de 1920.

Os primeiros a chegarem foram os irmãos padres José Kehrle e João Gonzaga Kehrle.

Dona Rosita era uma mulher muito sisuda e esse jeito de ser acabou fazendo com que a mesma não fosse querida pelas crianças. Era comum, entre a meninada, o medo da senhora vinda da Alemanha, a maioria evitava brincar nas proximidades da casa ou até mesmo nas proximidades do armazém.

Outros detalhes que chamam a atenção são os degraus das calçadas, que eram usados como ‘point’ de bate papo da juventude da época e por casais de namorados.

Na imagens também é possível ver os frondosos e históricos pés de ‘fícus’. Esse foram alguns do poucos exemplares da espécie a sobreviverem na cidade logo após o surto do inseto denominado popularmente de ‘lacerdinha’, o inseto incomodou muito a população porque causava coceira e muita irritação nos olhos.

Em meio ao surto da ‘lacerdinha’ muito pés de fícus foram derrubados em vários pontos da cidade.

 

Compartilhe isto: