Fotos: Farol de Notícias / Max Rodrigues

Publicado às 14h desta quinta-feira 12()

No clima de expectativa em relação ao aumento do nível das águas do Rio Pajeú, o Professor Ubiraci Nunes de Carvalho, mais conhecido como Bira, de 60 anos, levou os seus 28 alunos da disciplina de Produção Vegetal I, do curso de Agropecuária, da Escola Técnica Clóvis Nogueira Alves, para uma aula prática sobre o rio, transformando a ‘Ponte da Caxixola’ em sala de aula.

“Nos viemos aqui hoje para uma visita técnica para observar o quanto o rio está assoreado e no sentido de ver novas águas, mas ainda estamos vendo esgotos, infelizmente”, comentou o professor que já leciona há mais 36 anos.

Ubiraci Nunes é um daqueles serra-talhadenses saudosistas que guardam na lembrança os tempos em que o Pajeú era o maior espaço de lazer da cidade.

“Tenho grandes lembranças das águas correntes o ano todo, água limpa, e nós jogávamos bola a tarde e tomávamos banho aqui no Pajeú com água limpa. Tinha peixe e dunas de areia. Era uma maravilha! O que vemos hoje são esgotos, areia nenhuma, muitas plantas aquáticas que se alimentam de poluição. O que estamos vendo hoje é uma tristeza. Infelizmente quando a cheia vier vai levar tudo para (barragem de) Serrinha, que é outro deposito”, relata o professor.

MENSAGEM

Apesar do lamento, o professor Bira também deixa para os seus alunos uma mensagem de esperança, palavras que mostram o quanto as águas do velho Pajeú continuam sendo importantes para o mestre. “Esperamos que se modifique essa situação que estamos vendo hoje e volte um pouco ao passado, pelo menos 80% já seria um grande alento para nos”.

O aumento do nível das águas do Pajeú também podem ter relação com a Barragem de Brotas, em Afogados da Ingazeira, ter ‘sangrado’ na manhã da terça-feira (10). O nível do rio aumentou sensivelmente, algo que não ocorre deste de abril de 2009, quando foi registrada ultima cheia.

Compartilhe isto: