Por João Antunes de Lima Júnior, serra-talhadense e amante da política

Publicado às 03h30 desta quinta-feira (21)

Nos bastidores, o cenário da corrida eleitoral para Assembleia Legislativa se por uns está esquecida, para o deputado Augusto César, que movimentou-se durante todo ano trabalhando com intensidade e empenho, não. Isso para que do todo, pegar o maior pedaço possível do bolo governista, que tem um gostoso recheio de 13 vereadores e dois suplentes de vereadores por suas votações.

Ninguém arrisca colocar fichas na roleta de que ele (Augusto César) não será majoritário na terrinha. Por outro lado, o que beneficia ainda mais o otimismo de muitos, é que a oposição tem colocado seu time em campo vestindo a camisa de 2020.

Para alguns especialistas, um desastre prematuro ou até mesmo fetal. Como se não bastasse, o PSB tem um novo gerente, o empresário João Duque de Souza Filho, o popular Duquinho, que diz não abrir mão de sua candidatura para a Assembleia Legislativa alçado como mais um deputado estadual para o campo da república.

Inegavelmente, há um consenso de que essa investida, dentro do próprio ninho de oposição, inibe ainda mais a movimentação do deputado Rogério Leão, ficando cada vez mais apagado. Segundo alguns especialistas, Duquinho vem se articulando e jogando todo molho nos eventos, beijinhos aqui, abracinhos ainda mais pra cá e toda pinta de bom rapaz educado de sorriso completo aos dentes bem clareados.

Duquinho seria um coveiro?

Dessa forma, o pré candidato pela legenda socialista vem ganhando a condição do vilão, o coveiro que vai sepultar os sonhos do deputado belmontense. Rogério Leão parece que vem perdendo a cada dia espaço na briga de majoritário na capital da beleza feminina. Diria uns, mas ele fica na segunda colocação? Sim ou não, depende.

Primeiro, a base tem de oferecer espaço ou ele mesmo se sentir em casa e ocupar uma posição estratégica pelo menos nos eventos com a presença do deputado federal licenciado Sebastião Oliveira. E por ai não basta, nessas andanças pelas comunidades sem a presença do líder republicano, que pelo menos Rogério Leão assuma, ainda que por instantes, a condição de rei. Quem sabe sobre tempo e voto na investida para disputa no páreo de bem votado.

E Rodrigo Novaes?

Tem mais, a gente não pode esquecer o deputado Rodrigo Novaes, ele é um cara que tem desfrutado de muita simpatia em nosso município. Aos poucos se infiltrando, vem a cada dia e conquista mais admiradores. Tem até republicano das antigas com um olhar para o projeto de Novaes entre uns dos fortes ao título de segunda colocação. Seria audaciosa essa investida, mas não impossível.

Vendo que no grupo da república, Duquinho tem se movimentado com fluidez prejudicando ainda mais o crescimento do Leão. Calma, essa é uma visão sem a presença forte do deputado Sebastião Oliveira que pode ser o contra ponto diferencial para deixar o deputado Rogério Leão em situação bem mais otimista. E vai depender também do desempenho da campanha majoritária com o projeto de reeleição do governador Paulo Câmara.

Eu não sou cientista político, nem muito menos analista, apenas um andante das artérias políticas da nossa terrinha. Abraçando sempre aos nossos amigos e amigas. Ano que vem tem mais para federal, se Deus quiser. Um Feliz Natal!

Compartilhe isto: