congressoA rejeição ao trabalho do Congresso Nacional continua crescendo e atingiu o seu maior número desde o início da série de pesquisas do Datafolha, em 1993. Esta última foi feita com 2.765 pessoas nos dias 29 e 30 de novembro e divulgada nesta quarta-feira (6) pelo jornal Folha de S.Paulo.

Os dados mostram que 60% dos brasileiros consideram ruim ou péssimo o desempenho dos atuais 513 deputados federais e 81 senadores. Já a aprovação desceu a apenas 5%, que é também o pior número já registrado.

Nos dois últimos levantamentos do Datafolha sobre o Congresso – em dezembro de 2016 e abril de 2017 – a reprovação já havia sido recorde, com 58% de rejeição e 7% de aprovação.

A única vez em que o Datafolha apontou uma avaliação positiva nos últimos 25 anos foi em dezembro de 2003, primeiro ano da primeira gestão do petista Luiz Inácio Lula da Silva no Planalto (2003-2010).

O levantamento foi feito pouco depois de um mês da votação da Câmara dos Deputados que barrou a tramitação da segunda denúncia contra o presidente Michel Temer (PMDB), que tem alta impopularidade.

A pesquisa mostra ainda detalhes dos perfis de quem reprova o trabalho do Congresso: os mais ricos (74%), os com ensino superior (75%), os eleitores do presidenciável Jair Bolsonaro (68%) e os que reprovam a gestão de Michel Temer (69%).

Já uma avaliação um pouco menos negativa do trabalho do Congresso é observada entre aqueles com ensino fundamental (52%), os de religião evangélica pentecostal (51%) e os que têm o PMDB como partido de preferência (42%) ou avaliam positivamente o governo Temer (37%).

Compartilhe isto: