Publicado às 13h15 desta quarta-feira (11)

A troca de farpas entre os vereadores Rosimério de Cuca (PMN), da situação, e Antônio de Antenor (PR), da oposição, ganhou um novo capítulo nesta quarta-feira (11) durante o Programa Frequência Democrática, na rádio Vilabela FM,

Rosimério reconheceu que errou ao insinuar, na tribuna da Câmara Municipal, que a operação Lava Jato investigou supostos crimes de Antônio de Antenor em Serra Talhada. Em resposta, Antenor ameaçou abrir um boletim de ocorrência e depois processar Rosimério [leia aqui].

Indagado sobre se estava arrependido das acusações, ele sapecou:

“Arrepender? Isso não está no meu vocabulário não, amigo. Agora… Eu errei porque disse que a (operação) Lava Jato começou aqui em Serra Talhada quando ele (Antônio de Antenor) era o presidente da Câmara Municipal. E estou pronto para pagar pelo erro. Mas com toda ação tem uma reação. E como ele também me atingiu, eu abrirei um boletim de ocorrência contra ele. Essa é a realidade”, disse o parlamentar.

Rosimério de Cuca alegou em sua defesa que Antônio de Antenor lhe humilhou ao dizer que Rosimério havia entrado na Câmara Municipal pela ‘cozinha’, como um ‘cachorro’, pelo fato do parlamentar ter sido eleito com pouco mais de 600 votos.

“Ele disse que eu entrei na Câmara pela cozinha… E eu não sou cachorro! Pela porta que ele entrou como vereador eu entrei também. Ele me humilhou… Ele me rebaixou e me rebaixando eu também tenho o direito de fazer um B.O. por danos morais, porque quem entra pela porta da cozinha é o quê? Eu errei? Errei. Mas espero que ele reconheça que errou também nas palavras dele. Então, vamos ver! Se ele (Antenor) que botar pra gerar e então vamos botar! E não peço desculpas… Só se ele me pedir também”, disse Rosimério.

OUVIDO NÃO É PENICO

Ainda, durante a entrevista, o vereador reconheceu que o nível dos debates na Câmara Municipal está baixo demais e que por isso vai tentar mudar de postura por achar que o ouvido da população não é ‘penico’.

‘Eu me sinto constrangido por que a população não quer ouvir esse tipo de embate entre os vereadores, quer ouvir projetos, indicações e embate propositivo, certo? Então isso está na hora de acabar. Mas eu jamais vou ser atingido pra não ter uma resposta. Na hora que ele me atingiu eu também tinha que responder. O ouvido da população não é penico para ficar ouvindo isso e vou procurar melhorar”, finalizou.

 

Compartilhe isto: