SAMU

O secretário de Saúde de Serra Talhada, Luiz Aureliano, revelou, durante entrevista a Rádio A Voz do Sertão AM, no início da semana, que a Prefeitura foi obrigada a pedir mais uma ajuda do Governo do Estado, no valor de R$ 80 mil, para a compra da mobília e de equipamentos para a central de regulação do Samu na cidade. Até agora, após três adiamentos consecutivos, a obra não tem previsão para ser inaugurada. Segundo Aureliano, só os repasses estaduais e federais não teriam dado conta dos gastos para construção da sede, sendo o município obrigado a injetar mais dinheiro.

No entanto, por mais que já foi investido em cima do valor final previsto da obra (R$ 720 mil), o governo Luciano Duque alega que a gestão estadual poderia ter feito mais. “Se não me engano, só para comprar os equipamentos são R$ 246 mil, e a gente recebeu do Ministério (da Saúde) R$ 29 mil, pedi ao Governo do Estado uma ajuda, porque fica tudo nas costas do município. O dr. Figueira (secretário estadual de Saúde) se comprometeu comigo de dá R$ 80 mil para a compra dos equipamentos e todos os móveis. Espero que até o final de março a gente esteja inaugurando”, disse Luiz Aureliano.

Ainda, durante a entrevista, ele fez questão de enfatizar que havia pactuado com o Governo do Estado a construção da pista de acesso que liga a central do Samu até a BR-232. Por outro lado, o diretor da XI Geres (Gerência Regional de Saúde), Clóvis Carvalho, e o deputado estadual Sebastião Oliveira (PR), semanas atrás, rebateram essa informação. Eles garantiram não existir pactuação alguma firmada entre a prefeitura e a Secretaria de Saúde do Estado dando conta da construção do acesso. O que, em tese, deixa a cargo somente do governo Luciano Duque fazer. Até o momento, os trabalhos para criação da pista não avançaram.

Samu Serra Talhada2

Compartilhe isto: