Por Penha D’ França, moradora de Serra Talhada- Fotos enviadas pela leitora

Publicado às 13h36 deste sábado (7)

Indignação essa é a palavra. Meu sobrinho neto chega ao Hospital Regional Agamenon Magalhães às 21:40 min de ontem, com a mão direita destruída por uma bomba, foi atendido na emergência da unidade e em seguida encaminhado com caráter de urgência para a cidade de Recife após análise. Nós familiares entramos em desespero por saber que o risco de amputação é enorme nesses casos, ficamos a organizar tudo o mais rápido possível.

Tudo pronto, mas a ambulância não chegava tinha ido para Afogados da Ingazeira deixar uma paciente e voltaria logo mais. Continuamos a esperar, cada minuto um tormento. Eu fui ao estacionamento quando vi duas ambulâncias paradas.

Isso era às 02:15 da manhã enquanto João Victor de apenas 11 anos gritava de dor e me perguntando como faria agora para estudar e fazer suas atividades escolares, por ter perdidos dois dedos da mão direita e correndo o risco de perder a mão por causa da demora de locomoção.

Fui atrás da assistente social e enfermeira chefe, mas nada delas. Nenhuma veio conversar com os familiares. Tinham duas ambulâncias paradas no estacionamento do hospital, mas não tinha motorista para fazer o deslocamento. Algo revoltante, inaceitável em um caso desses onde uma criança corre o risco de ficar sem sua mãozinha é uma monstruosidade, acharam que não era nada grave.

A ambulância só apareceu às 3h da manhã e saíram as 3h27. O mesmo ainda levou outro paciente para Caruaru e as 09h19 deste sábado, ainda estavam em Caruaru esperando uma liberação de documentos do outro paciente. Lembrando que nesses casos tem que haver muita agilidade correndo risco de amputação por causa dessa negligência.

Não vamos aceitar tais descasos. É muito triste essa falta de humanidade na saúde do Hospam. A população de Serra talhada vem sentindo na pele o descaso do Hospital Professor Agamenon Magalhães, que na verdade está de pior a pior essas negligencias.

Compartilhe isto: