Fotos: Farol de Notícias / Manu Silva

Publicado às 14h02 desta quarta-feira (16)

Em meio ao início das obras de reforma da Praça Barão do Pajeú, a reportagem do FAROL DE NOTÍCIAS flagrou o momento em que um grupo de serra-talhadenses realizou uma ação peculiar para os dias atuais, a tentativa de resgate do ‘banco da Diva’. Criado em 1969 e que em cerca de 50 anos se tornou um dos monumentos lendários e mais amados pela boemia do Centro da cidade.

“Somos os enfrentantes do resgate do ‘bando da diva’ pela história que o banco tem, de gerações e gerações que vêm sendo contadas no banco. Muita gente hoje tem a recordação como o banco da fofoca, o banco das histórias. Pensamos em guardar o banco. Não para nós, mas para a população de Serra Talhada. Em algum lugar visível para não se perder a história do ‘banco da Diva'”, disse Leonardo Rodrigues de Godoy Andrada, 40 anos.

A ideia do grupo é encontrar um local para o banco junto a um painel com as características originais do entorno da praça, incluindo o frondoso pé de azeitona que foi derrubado de forma criminosa. “A ideia é ver se a gente consegue falar com Carlos do Bar do Scorpions, para ver se ele autoriza colocar na calçada do bar, e fazer um painel com o banco e o nome do ‘banco da Diva'”, finalizou Godoy.

Ainda de acordo com João Paulo, 33 anos, há um grupo de WhatsApp formado por quase 300 pessoas e que têm o ‘banco da Diva’ como tema central.

“Quando eu nasci já tinha a história desse banco, meu pai quando era menino, passou várias gerações e tem uma mística. A turma toda se identifica com a história do banco. Têm muitas pessoas de Serra Talhada que hoje moram fora da cidade e ainda relembram: ‘E a época do banco da diva’”.

ORIGEM DO NOME

Em 2015, durante a realização da série ‘Histórias Perdidas de Serra Talhada, o FAROL ouviu algumas pessoas que são contemporâneas da época em que o banco passou a ser conhecido carinhosamente como Departamento de Informação da Vida Alheia (Diva).

Durante a reportagem a equipe descobriu que um grupo de curiosos e observadores da vida alheia, em meados dos anos 70, começaram a se reunir no banco para trocar informações sobre quem sobe e quem desce na Praça Sérgio Magalhães.

O banco da Diva deverá ficar exposto na esquina das praças Barão do Pajeú e Sérgio Magalhães, no Bar Scorpions

Os frequentadores do ‘banco da Diva’ mantém um grupo de WhatsApp e em contato com o FAROL enviaram fotos de momentos memoráveis do local

HISTÓRIA: O ‘banco da Diva’ e as lembranças da praça Sérgio Magalhães em ST

Compartilhe isto: