Foto: Farol de Notícias/ Celso Garcia

Publicado às 09h55 desta quinta-feira (2)

Uma aluna do 3º ano do Ensino Médio, da Escola Methódio Godoy de Lima, em Serra Talhada, que não quis se identificar, entrou em contato com a redação do Farol de Notícias relatando queixas dos educandos em relação à merenda escolar e ao horário de intervalo para servir o jantar. Segundo ela, o lanche é insuficiente e muitos ainda ficam sem jantar. Ela afirmou que o problema vem acontecendo há alguns dias, que já conversaram com a direção pedagógica, mas não foi solucionado.

”Eu gostaria de relatar sobre a Escola Methódio Godoy de Lima é em relação à merenda escola. Além da escola, na maioria dos dias da semana servir só sardinha, vários alunos estão ficando sem jantar por conta que o horário de intervalo não é suficiente. Nós como estudantes achamos esta situação complicada porque, ontem, por exemplo, no lanche da tarde foi um pão com meio copo de suco e na parte da noite alguns alunos não conseguiram comer. É complicada ficar o dia inteiro em uma escola sem comer, falamos com o gestor, porém o problema não foi resolvido”, lamentou a aluna.

Veja também:   MPCO questiona Márcia sobre R$ 1 milhão a Gusttavo Lima

”O horário não dá para todos os alunos lancharem. Muitas e muitas vezes eu fiquei com fome na escola porque o horário não favoreceu e são muitos alunos, aproximadamente 450 alunos para comerem em 30 minutos, não é só eu que estou reclamando, são vários alunos. Nós já tentamos conversar com o diretor, mas esse problema não foi solucionado”, disse outro aluno, minutos após a aluna do 3º ano entrar em contato.

O OUTRO LADO

A reportagem do Farol de Notícias entrou em contato com a gestão da escola para entender o caso. De acordo com o diretor, Jakson Pereira, a escola vem tomando medidas para melhor gerenciar o horário do jantar dos estudantes. A possibilidade de aumentar o tempo de merenda e realizar rodízio de turmas está sendo estudada para resolver algumas das reclamações listadas.

Veja também:   Governo Márcia pagará R$ 1 milhão a Gusttavo Lima

“Temos tentado fazer os ajustes que julgamos necessários, mas também sentimos a resistência dos estudantes que não querem seguir os horários. Como eu falei o tempo do jantar é apertado e tem muitos itens para colocar no prato, o que torna o tempo mais lento para ser servido. Já criamos um rodízio de turmas para resolver esse problema. Pensamos em aumentar o tempo, para os estudantes que moram próximo à escola não haveria nenhum problema. Mas temos estudantes de outros bairros e da zona rural que sairiam muito tarde da escola e não concordam. A quantidade de merenda que é insuficiente não procede, muitos estudantes podem repetir. A gente não se opõe, se o estudante quiser ele pode. Só que o critério para repetir é pegar a fila novamente e ocorre de o aluno querer repetir a merenda, mas sem pegar fila”, explicou o gestor.