Foto: Farol de Notícias/Celso Garcia

Publicado às 14h27 desta quarta-feira (1)

O ex-prefeito de Serra Talhada, Luciano Duque, pré-candidato a deputado estadual, foi o convidado do programa Falando Francamente, na TV Farol, nesta quarta-feira (1). Por cerca de 1 hora, o ex-petista debateu propostas caso chegue a Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), respondeu perguntas de telespectadores, negou qualquer rompimento com a prefeita Márcia Conrado, e não se eximiu em comentar sobre a possibilidade do deputado Sebastião Oliveira cravar a vice na chapa com Marília Arraes. Um leitor atento sapecou que Duque deveria ser o vice de Marília, e não ‘Sebá’.

“Eu não tenho essa pretensão de ser vice, na verdade, na política às vezes a gente precisa compreender que na construção a gente tem que ceder um pouco. Lula trouxe Alckimim para o PSB  está fazendo uma grande aliança nacional para poder chegar lá. Eu não consigo enxergar em Marília o pensamento de direita. Ela é uma política de esquerda que tem visão social, que tem preocupação com o desenvolvimento de Pernambuco, com a melhoria da qualidade de vida do nosso povo, então não é o fato de Sebastião ser o vice que vai mudar a forma de Marília ser. Aliás, ela incorpora um pouco do que foi Miguel Arraes, que sempre fez alianças com a direita para chegar ao poder nas diversas eleições em que governou o estado de Pernambuco”, explicou Duque.

Veja também:   Depois da França, chegou a vez do Reino Unido declarar seca histórica

Ainda durante a entrevista, Luciano Duque revelou que Marília Arraes lhe consultou sobre a aliança com o Avante e ele foi objetivo. “Quem tem que discutir quem é o vice ideal é a minha companheira Marília, no Solidariedade. Marília me procurou e disse: ‘Duque, eu estou dialogando com Sebastião Oliveira que é seu adversário histórico e vocês estão em campos opostos lá em Serra Talhada.’ Eu disse: Olha, eu não tenho dificuldade nenhuma, Marília, de votar em você, mesmo você tendo um diálogo com Sebastião, desde que os princípios e aquilo que a gente sempre sonhou para Pernambuco, quando lançamos você lá em 1208, sejam preservados”, pontuou.

“NÃO FAÇO POLÍTICA MIÚDA”

O ex-prefeito de Serra Talhada, que está bem cotado para assumir uma cadeira na Alepe, também revelou que não costuma agir sobre a ótica do ‘varejo e política miúda’ em busca de interesses pequenos. E reforçou que terá uma postura ‘desenvolvimentista’.

Veja também:   Vereador diz que na gestão Lizbeth a saúde despencou em ST

“Ela [Marília] disse: ‘Duque, e com relação a espaço político?’. Eu disse: olha, Marília, eu não quero nada mais nada menos do que o que você venha nos dar para o futuro. O que Sebastião tiver de espaço político que você preserve. Agora vou lhe fazer um pedido, eu sempre fui um desenvolvimentista, eu sempre olhei para o progresso da minha terra. Nós fomos uma das gestões que mais trouxe investimento para a história de Serra Talhada, transpus Serra Talhada para o segundo PIB do Sertão, nós dobramos o PIB em 8 anos. Nós fizemos de Serra Talhada uma cidade que respira progresso, que mesmo na crise, nós contrariamos ela e fizemos Serra Talhada crescer”, declarou, arrematando:

Veja também:   Nem Pretim e as três faces da vida de um pai honrado e amoroso de ST

“Você acha que eu vou estar brigando por um emprego de guarda do hospital? Por uma merendeira numa escola? Não vou, Marília! Eu quero muito mais, eu quero que você traga indústria, que você traga desenvolvimento, que você gere, através da indústria em Serra Talhada, que você vai ter condições de fazer 3 a 4 mil empregos. São 4 mil bocas que vão estar comendo, gerando desenvolvimento. Não estou preocupado com política miúda, até porque eu nunca me preocupei com isso”.

ASSISTA AGORA A ENTREVITA COM LUCIANO DUQUE