Publicado às 06h34 deste sábado (8)

Insatisfeita com a falta de reforma na Praça Miguel Olindo dos Santos, no bairro São Cristóvão, em Serra Talhada, a professora Maria Lécia Príncipe dos Santos, 60 anos, moradora do bairro e filha de Miguel Olindo dos Santos mesmo nome que a praça recebeu, já pensou até em enfrentar o serviço por conta própria, no entanto, é ciente que a prefeitura deve fazer sua parte.

Segundo Maria Lécia, a coleta de lixo passa diariamente, às vezes a prefeitura manda limpar o mato quando cresce, mas não passa disso. Parte da calçada está esburacada, há entulhos, bancos quebrados e até uma caixa d’água grande, sem está sendo utilizada, próximo a um poço artesiano que existe há muitos anos, porém não funciona. Além desses problemas ela ainda informou que tem árvores que não são podadas causando riscos a população, pois durante esta semana caiu uma galha de uma árvore grande que por sorte não atingiu ninguém.

”Queria ver com a prefeitura se é possível dar uma olhada e arrumar, pintar, arborizar. Está muito a desejar, depois que ela foi construída não teve reforma, só o pessoal da prefeitura que vem limpar o mato quando está grande e a coleta de lixo. Os bancos já estão quase todos destruídos. Eu já pensei até em colocar uma pessoa particular para pintar, dá uma arrumadinha, arborizar e tudo, mas fica difícil para mim. A prefeitura é que tem que dar uma olhada e ver o que pode fazer”, alertou a moradora.

O OUTRO LADO

Segundo a Secretaria de Obras, em contato com o Farol, a praça consta na lista para reforma, assim como outras que foram reformadas em 2021, no entanto depende de captação de recursos. ”Obras precisam de recurso, o município trabalha captando dinheiro do Governo Federal e Estadual, através dos deputados que se dispõem a ajudar a cidade.”

Veja também:   Emoção marca despedida do professor Fábio em ST nesta 6ª