Publicado às 05h15 deste domingo (27)

O “Viagem ao Passado” deste domingo resgata detalhes da campanha a prefeito de Serra Talhada do grande artista Arnaud Rodrigues, em 1988. Segundo o jornal Diário de Pernambuco (imagem acima), Rodrigues iniciou o seu projeto político meses antes do pleito que ocorreu em 15 de novembro, conforme matéria publicada em 10 de janeiro de 1988. Na ocasião, Arnaud estava se filiando ao PSB (Partido Socialista Brasileiro).

Em entrevista ao Diário de Pernambuco, em 03 de outubro de 1988 – faltando  quarenta e três dias da eleição-, o artista deu a seguinte declaração: “Não sou pretendente a um cargo público. Sou pretende mudar toda a filosofia de trabalho que há em minha Serra Talhada. Resolvi ser candidato por que vi sinceridade nas pessoas que me cercam e que querem fazer da política uma atividade séria, honrada e voltada para o bem comum. Vi, também, na minha gente de Serra Talhada muito mais espírito de cidadania do que em certas cidades brasileiras apontadas como politizadas”.

A campanha eleitoral já está a todo vapor na cidade desde agosto, no entanto, Arnaud Rodrigues não se afastou previamente das suas atividades artísticas, como redator e humorista do programa de televisão “A Praça É Nossa”, e só veio a participar de atividades de  campanha quando já faltavam pouco mais de duas semanas para o dia da eleição. Mesmo com todo o conhecimento das técnicas televisivas, o ator não participou do debate com os candidatos produzido e transmitido pela TVE, o que para muitos foi um dos seus grandes equívocos. Outro detalhe importante é que Arnaud não conseguiu se desvincular da imagem de seus personagens históricos, como Soró Sereno e o Cego Jeremias, o que fez com que ele desse mais autógrafos do que propriamente se apresentar como um postulante ao cargo máximo da sua cidade natal.

Veja também:   Márcia Conrado entrega mais uma UBS ao lado de Luciano Duque

RESULTADO

O eleito naquele pleito foi o Dr. Ferdinando Feitosa, com 9.003 votos, e em seguida vieram: Nildo Pereira (5.456), Dr. Nena (4.102), Luciano Duque (3.840), Dr. Paulo César (2.366) e na lanterna, com 1.720 votos, o multiartista de fama nacional.

Um dos maiores prejudicados nessa empreitada política foi o saudoso Expedito Eliodoro, o popular Louro Eliodoro, que na época era um dos vereadores mais atuantes da Câmara e que acabou não disputando a reeleição, sendo indicado durante o processo pré-eleitoral para ser o vice na chapa com Rodrigues. Com esse gesto Louro praticamente pôs fim a sua promissora carreira política.

Vários jovens acompanharam o projeto do PSB e se lançaram como candidatos a vereador, entre eles estavam, Bebeto Godoy, Jair Ferraz, Cajuína, João Birilo, Edvaldo Oliveira e Romero Callou. Infelizmente a maioria dos integrantes do grupo liderado por Arnaud Rodrigues já faleceram, o que nos impossibilita de obter relatos mais extensos, e assim talvez teríamos como vislumbrar conjecturas mais profundas sobre aquela emblemática campanha eleitoral de 1988 e sobre o pensamento político de um dos maiores artistas nordestino da segunda metade do século XX.