cornélio soaresA escola Cornélio Soares, que atua no sistema semi-integral de ensino médio em Serra Talhada, aderiu à greve anunciada pelo Sintepe (Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Pernambuco) em assembleia, nessa sexta-feira (10), em Recife. Em contato com o FAROL, os docentes emitiram uma nota para pais e alunos esclarecendo os motivos da adesão. Confira!

NOTA DOS PROFESSORES DA EREM CORNÉLIO SOARES

Caros pais, alunos e comunidade em geral.

                Comunicamos que após tentativas fracassadas de negociação com o Governo do Estado de Pernambuco, os professores da Rede Oficial de Ensino, assim como os da Escola de Referência em Ensino Médio Cornélio Soares decidiram aderir à greve da categoria.

                A princípio reconhecemos os “inconvenientes” causados pela paralisação, pois sabemos dos prejuízos acarretados não só às famílias, como também aos professores, mas a atitude do governo não nos deixa outra saída.

                Outrossim, gostaríamos de esclarecer alguns pontos reivindicados pela categoria, tais como:

– Cumprimento da lei federal do piso salarial dos profissionais da educação (reajuste anual nos salário da categoria). O governador recusa-se a cumprir a lei e encaminhou projeto para ajustar apenas os salários dos profissionais formados em nível médio, menos de 10% da categoria. Isso exclui todos os professores de 5ª a 8ª série e do Ensino Médio;

– Melhorias nas condições de trabalho e na qualidade do ensino (mobiliário, espaço físico, número de estudantes por turma);

– Reformulação do plano de cargos e carreiras, entre outros.

Em apenas cem dias de gestão ele mostrou-se disposto a descumprir uma lei federal tão duramente conquistada. Se nos calarmos agora, seremos reféns durante os quatro anos do Governo.

               O apoio da comunidade escolar (família) é importante para fortalecer nossa luta por melhores condições de trabalho e pela melhoria na Educação do nosso Estado. Quanto mais unidos estivermos (professores, pais, alunos e comunidade) mais cedo teremos nossos direitos reconhecidamente implementados.

Veja também:   Bolsonaro sanciona piso da enfermagem, mas veta reajuste pelo INPC

               Por fim, reiteramos nosso compromisso efetivo de reposição de todos os dias letivos de luta, como forma de comprovação de nosso incondicional comprometimento com a formação dos filhos de cada um de vocês.

Atenciosamente,

Professores da Erem Cornélio Soares