Publicado às 14h28 desta terça-feira (10)

O secretário de Transportes de Pernambuco e deputado federal licenciado, Sebastião Oliveira, não silenciou diante as duras críticas disparadas nessa segunda (9), durante a sessão ordinária da Câmara de Vereadores, quando os parlamentares governistas André Maio (PRB) e Manoel Enfermeiro (PT), acusaram o governador Paulo Câmara e o secretário de Saúde, Iran Costa, de bloquear a vinda de um serviço de oncologia de forma proposital para Serra Talhada.

Na opinião dos vereadores, que tacharam o governador de ‘irresponsável’, Câmara e Iran Costa estariam brecando os serviços porque teriam ‘interesses’ em manter a oncologia no município de Arcoverde, no Sertão do Moxotó.

Nesta terça-feira (10), durante entrevista ao programa Frequência Democrática, na rádio Vila Bela FM, Sebastião rebateu as denúncias, defendeu o governador e aproveitou para alertar sobre um suposto sistema de beneficiamento do Sistema Único de Saúde (SUS) para vereadores governistas em Serra Talhada.

“Primeiro, isso não é verdade (a denúncia dos vereadores). A gente quando quer abrir um serviço do porte do serviço de oncologia, ele passa por algumas especificações técnicas que são analisadas por uma equipe técnica da Vigilância Sanitária e da Secretaria de Saúde. O que acontece em Serra Talhada, e que eu não queria entrar nesse debate, porque o que acontece em Serra Talhada, que a gente vai levar para o futuro e que é muito difícil nesse governo, é que houve de fato uma quebra do princípio fundamental do SUS por parte da prefeitura, que é a maior reguladora daí. O princípio da equidade, ou seja, a fila no SUS e as prioridades não são respeitadas de acordo com o princípio de equidade do SUS. São respeitadas de acordo com a vontade da bancada governista de vereadores. Essa é que é a verdade”, declarou o secretário.

INVESTIGAÇÃO E CLÍNICA

Durante a entrevista, Sebastião Oliveira garantiu que iria abrir uma investigação e colocou no foco a Clínica São Francisco, que tem como proprietário um aliado do prefeito Luciano Duque.

“Há de fato algo que precisa ser investigado pela bancada de oposição, e pelos moradores de Serra Talhada, que é uma verdadeira máquina moendo para fazer cirurgias, atendimentos e procedimentos na Clínica São Francisco, que é a detentora da maioria dos contratos da Prefeitura de Serra Talhada, da qual os vereadores se refestelam da ala governista e se acobertam com uma máquina enorme para fazer voto. Eu vou me debruçar sobre esse assunto, profundamente. Se for preciso, inclusive, eu vou ao Ministro da Saúde, a Controladoria Geral da União e vou me debruçar profundamente sobre esse assunto”, disse Oliveira, arrematando:

“O que há na verdade, quando a gente olha para o espelho e faz uma denúncia como essa, a gente sabe que os interesses comerciais sendo contrariados por uma bancada governista. A bancada governista, provavelmente, junto com todo mundo que fez um compromisso que esse serviço de oncologia seria aberto na Clínica São Francisco. E muito provavelmente por insuficiência técnica, esse serviço não pode ser aberto. Isso sem dúvida nenhuma deve ter contrariado os interesses da bancada governista”.

 

Compartilhe isto: