Durante  Sessão Ordinária da Câmara Municipal Serra Talhada (CMST), na noite dessa segunda-feira (5), o vereador José Raimundo Filho (PTB), fez um duro discurso mostrando a ineficiência das ações públicas no combate a seca e propôs a criação de uma comissão para fiscalizar os trabalhos de construção da Adutora do Pajeú. Hoje, única “tábua de salvação” da população do Sertão do Pajeú. O vereador sugeriu que a comissão formada realizasse visitas ao canteiro de obras a cada 15 dias.

“Não basta o governador vir e olhar, de helicóptero, as obras da adutora. Temos que fazer isso como uma obrigação nossa. Senão, vai encerrar o prazo de 90 dias e não vai chegar água em nossas casas”, disse Zé Raimundo. Ele também sugeriu que a comissão fosse composta por membros da sociedade civil organizada. “Não é apenas uma comissão. É uma comissão de trabalho, que deverá contar com a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), sindicatos e associações”, esclareceu o parlamentar.

Veja também:   Campanha de Duque larga com adesivaços e apoios em regiões

O vereador também fez uma alerta com relação aos níveis críticos do açude Cachoeira II, que abastece Serra Talhada, e disse que a sociedade tinha obrigação em diagnosticar os motivos do atual pré-colapso no abastecimento d’agua. “O rico está sofrendo, mas tem que lembrar que ele contribuiu pra isso. Discutir as causas deste pré-colapso é uma obrigação desta comissão”, finalizou Zé Raimundo Filho. Ainda esta semana, a câmara fará o convite para composição da comissão fiscalizadora.