A medida que aproxima-se o Dia das Crianças – 12 de outubro – a desesperança e os conflitos familiares crescem em Serra Talhada. Segundo dados do Conselho Tutelar dos Direitos da Criança e Adolescente na Capital do Xaxado – o consumo de drogas entre crianças e adolescentes vem crescendo de forma geométrica. Em particular, o consumo do crack, que teve um crescimento em torno de 30% com relação ao mesmo período do ano passado.

“Atendemos diariamente entre 10 a 12 casos. A maioria refere-se às drogas, em particular, ao crack. São mães que chegam aflitas em busca de apoio e solução. É realmente uma situação muito difícil”, declarou Iara Nunes, Conselheira Tutelar. Ela informou que o papel do órgão resume-se em fazer o registro e encanminhar às crianças para um tratamento adequado.

“A maioria são levadas ao Centro de Atenção Psicossocial (CAPS-AD) recém inaugurado pela prefeitura. Há casos de crianças de 11 anos de idade que já se encontra viciada”, lamentou Iara. Ela não quis revelar os bairros que se destacam no consumo de drogas mas o FAROL apurou que o Mutirão e a Borborema- periferia de Serra Talhada- são campeões neste quesito.

O crack é uma droga geralmente fumada, feita a partir da mistura de pasta base de cocaína. Na prática, é uma forma impura de cocaína e possui poder letal. Ela atinge o sistema nervoso central em apenas 10 segundos e tem um efeito que dura entre 3 a 10 minutos.

 As políticas públicas ora existentes na Capital do Xaxado ainda são tímidas e pouco eficazes com relação a oferta de tratamento ao viciados em drogas. Por fim, o combate enérgico ao tráfico nas comunidades não funciona na velocidade em que os casos aparecem.

Compartilhe isto: