Serra Talhada corre o sério risco de sofrer epidemia de Dengue em breve. O alerta foi dado pelo coordenador do Núcleo de Vigilância da Prefeitura de Serra Talhada, Aron Araújo, durante reunião, nesta segunda-feira (11), com vários órgãos visando planejar estratégias de contenção e prevenção a um possível surto da doença.

Com a crise no abastecimento hídrico que o município vem passando, muita gente está tendo que estocar água por vários dias. Para o técnicos da Vigilância, isso poderá contribuir com a criação de focos do mosquito transmissor.

Participaram da reunião o secretário de saúde do município, Luiz Aureliano, diversos técnicos da secretaria e principalmente do Núcleo de Vigilância; agentes da Vigilância Sanitária municipal e  estadual, o secretário de Educação, Edmar Júnior, o secretário de Serviços Públicos, Célio Antunes, coordenadores e técnicos da Compesa.

Veja também:   Saiba programação do polo Cultura Viva e Feira Livre
ARON ARAÚJO CONVOCOU A REUNIÃO PARA PLANEJAR AÇÕES DE PREVENÇÃO

De acordo com Aron Araújo, o município de Serra Talhada vive constantemente na zona de risco de um surto de Dengue e por isso a Secretaria de Saúde do município necessitou convocar os órgãos de controle. “Não queremos fazer terrorismo, mas é que o cenário é muito favorável para uma epidemia, por isso temos que ter cuidado”, enfatizou.

O coordenador da Vigilância explicou que, até dezembro, a cidade passa pelo período considerado não epidêmico. Mas que termina de janeiro a maio. “Devido as chuvas que ocorrem nesta época, eclodem as larvas do mosquito, então o risco de contaminação é bem maior”, esclarece Aron.

Ele lembra que é necessário um trabalho para que não se dê oportunidade para proliferação das larvas, que podem permanecer hibernadas por até 450 dias. Entre as necessidades elencadas, o núcleo de Vigilância solicitou à Compesa o calendário de abastecimento dos bairros. A maioria deles está enfrentando uma dura escala de racionamento.

Veja também:   Tentativa de assalto termina com um preso e outro ferido no Pajeú