Um dia depois de o governador Eduardo Campos (PSB) admitir que o seu partido tem dificuldades no Rio de Janeiro, a Associação Municipalista do Rio de Janeiro (Aemerj) divulgou uma nota à Imprensa criticando o socialista. No documento, os prefeitos taxaram Eduardo de traidor e ainda disseram que o governador é visto como inimigo pela população do estado fluminense. As críticas surgiram justamente após uma reunião realizada no Recife com a cúpula do PSB, na qual Campos afirmou que não quer proximidade com o governador do Rio, Sérgio Cabral, e seu candidato à sucessão, Fernando Pezão, ambos do PMDB.

A nota é assinada pelos dois representantes da Aemerj, os prefeitos Vicente Guedes (PSC) e Max Lemos (PMDB). “Ele será sempre visto como inimigo pela população do Estado do Rio de Janeiro. É bom que ninguém esqueça, Eduardo Campos foi o maior líder entre os governadores de estados não produtores de petróleo no movimento para retirar os royalties do petróleo e gás do nosso estado e dos nossos municípios”, destaca o documento.

Veja também:   Confira as atrações para o fim de semana em ST

Além de dizer que Eduardo traiu os interesses de cariocas e fluminenses, a nota diz também que Eduardo demonstra preconceito com as “boas práticas políticas” desenvolvidas pelo Governo Federal, estadual e dos municípios do Rio de Janeiro.

Único representante do PSB do Rio de Janeiro na Câmara Federal, o deputado Glauber Braga respondeu às críticas dos prefeitos. Para ele, há uma tentativa de se criar um fato político envolvendo Eduardo. Ele lembrou que no Rio de Janeiro, o PSB está como oposição a Sérgio Cabral e não tem interesse de se aliar aos peemedebistas na eleição estadual do próximo ano.

Por Jumariana Oliveira, da Folha de Pernambuco

Veja também:   Lula declara R$ 7,4 milhões em bens ao Tribunal Superior Eleitoral