A pouco mais de dez dias no cargo, o novo secretário de Educação de Serra Talhada, Edmar Júnior, já está com uma “batata quente” nas mãos: enfrentar uma possível greve dos trabalhadores de educação, incluindo os professores, que ameaçam parar as atividades por tempo indeterminado a partir da próxima terça-feira (23). Em conversa com o FAROL, nessa quarta-feira (17), o secretário revelou que pretende atuar como “bombeiro” apagando os entraves entre os dois lados.

“Primeiro quero afirmar que o acordo feito com o sindicato, não foi feito por mim, mas pelo meu antecessor. Estou chegando agora e não gostaria de enfrentar uma greve logo de início”, disse Edmar Júnior, informando que nesta quinta-feira (18) vai se reunir com o prefeito Luciano Duque para discutir as reivindicações da categoria.

“Estive obtendo informações e acho que a questão do pagamento das conquistas em caráter retroativo é o mais complicado”, reforçou o secretário.

Bastante tranquilo para enfrentar futuras tempestades, Edmar Júnior garante que o mais importante é não prejudicar os estudantes da rede municipal de educação. ” Queremos garantir os dias letivos aos nossos alunos. Eles não podem ter prejuízos e precisamos pensar nisso”, finalizou Júnior, afirmando que vai insistir no diálogo com o Sindicato dos Trabalhadores de Educação (Sintest).

 

Veja também:   Corpo de Valdevino ficou em longa exposição em ST