A tropa de choque do Partido dos Trabalhadores (PT) começou a centrar fogo no governador Eduardo Campos, pré-candidato a presidência da República pelo Partido Socialista Brasileiro (PSB).

Durante entrevista a rádio Vila Bela FM, no último sábado (12), o deputado Manoel Santos, um dos fundadores do PT em Serra Talhada, criticou a política de alianças do PSB e o comportamento do governador Eduardo Campos.

“Não vejo como o governador possa fazer algo melhor do que o PT, fazendo alianças com Ronaldo Caiado, um dos fundadores da União Democrática Ruralista (UDR) e com os Bornhausen de Santa Catarina. Como vai fazer mais e melhor? A família Bornhausen são os maiores representantes da velha política”, disparou o deputado petista, mostrando a sua insatisfação com a postura de Campos.

ESCOLHA DOS PRIVILEGIADOS

Ainda durante a entrevista, Manoel Santos fez uma breve prestação de contas do seu mandato e lamentou não ter feito muito mais, em virtude do tratamento recebido pelo Governo do Estado, mesmo fazendo parte da base de sustentação de Eduardo Campos.

“O governador escolhe quais os deputados que quer privilegiar. Eu estou fazendo o que posso. Apesar de ter apoiado Eduardo Campos em 2006 e de ter sido eleito na coligação do governo, não tenho recebido o mesmo tratamento de outros deputados”, disse Manoel Santos, citando o deputado Sebastião Oliveira (PR) como um dos privilegiados.

“Nós, deputados, solicitamos as propostas mas não temos condições de fazê-las”, disse o deputado petista, garantindo que uma das conquistas do seu mandato foram as obras de capeamento asfáltico do bairro do Bom Jesus, em Serra Talhada.

 

Veja também:   Emoção marca despedida do professor Fábio em ST nesta 6ª