Por Paulo César Gomes, Professor, pesquisador e repórter especial do Farol

O atentado sofrido pelo deputado Jair Bolsonaro é algo extremamente reprovável e lamentável, uma trágica ironia do destino, no tocante as diversas propostas e ideias defendidas pelo líder político.

O fato é que agora o processo eleitoral toma um outro rumo, o debate político fica comprometido, visto que o quadro de saúde de Bolsonaro no momento requer atenção especial.

Por outro lado, é preciso observar com cautela os desdobramento do fatídico acontecimento, isso porque, a história, tem registrado alterações importantes no processo político ao longo dos anos, logo após atos como os que foram vistos na tarde da última quinta-feira.

Um bom exemplo foi o assassinato do então governador da Paraíba, João Pessoa, em 1930, quando o mesmo era vice candidato a presidente da República, na chapa encabeçada por Getúlio Vargas – a chapa foi derrotada por Júlio Prestes -, a tragédia foi o estopim da denominada ‘Revolução de 30’, que colocou no poder Getúlio, o que acabou mudando radicalmente a história do Brasil.

Por isso, é preciso acompanhar o comportamento que o seguidores de Bolsonaro e os setores do exército terão nos próximos dias.

O ideal é que se pense no bem estar do país e na adoção de um discurso pacifista, sereno e equilibrado, sem ódio e rancor, até que o próprio Bolsonaro possa retomar às rédeas de sua campanha eleitoral.

 

Compartilhe isto: