Do JC Online

Na noite da última quarta-feira (10), Jair Bolsonaro (PSC-RJ) divulgou em suas redes sociais, um vídeo de 11min39s afirmando que só abandonará a sua candidatura à Presidência da República se for morto ou tirado ‘na covardia’.

O manifesto veio após reportagens publicadas pelo jornal Folha de S. Paulo sobre o seu patrimônio e dos seus filhos parlamentares, além do recebimento de auxílio-moradia. Bolsonaro afirmou estar disponível para ocupar um imóvel funcional da Câmara e acusou a Folha de ser um jornal “canalha”.

“Só em duas situações eu posso não estar neste ano no debate presidencial: se me tirarem na covardia por um processo qualquer, na covardia, (…) ou se me matarem. Não to preocupado com isso. Se me matarem vão ter que me enterrar, vão arranjar outro Celso Daniel [prefeito petista, assassinado em 2002].”

“O que está em jogo? É o poder, é quem vai sentar-se naquela cadeira presidencial. (…) Sou uma pessoa completamente fora do establishment, sou o diferente, sou aquele intruso no poder”, afirma, citando que PSDB e PT tem um leque de apoio parlamentar e no Executivo muito maior do que o dele. “O que acontece? Aponta a bateria pra cima de mim. No caso, a Folha de S.Paulo, tentando me desestabilizar e me colocar no mesmo nível dos candidatos deles, que eles apoiam, do PSDB. Eles preferem até um petista na Presidência do que eu.”

Confira o vídeo divulgado por Bolsonaro:

Compartilhe isto: