eugenioPor Eugênio Marinho, empresário de Serra Talhada

Como brasileiros todos usufruímos de uma péssima qualidade de vida coletiva, como quem bebe a um vinho ruim, alguns a percebem, bebem este vinho, numa taça de cristal, outros, em copos de requeijão. Tanto um quanto o outro deixam de usufruir de uma boa qualidade de vida, pois ao invés de cuidarem um pouco do vinho que vai servir a todos preferem se preocupar exclusivamente com a taça de cristal ou com o copo de requeijão de suas propriedade e que irão usar para bebê-lo.

Se a taça de cristal foi comprada com dinheiro lícito, fruto de um trabalho que atende adequadamente as demandas da sociedade, assim como se o copo de requeijão retratar uma realidade não escolhida e que com trabalho e determinação se busca melhorar, os seus proprietários, tanto um quanto outro, não contribuem para estragar o vinho que será servido a todos.

Ao contrário, se a taça de cristal foi comprada com dinheiro ilícito, fruto desvio de dinheiro público e se o copo de requeijão representa a desistência de se buscar uma melhora da condição de vida, aí sim, ambos contribuem diretamente com a deterioração do vinho e neste caso o mesmo fica ruim para todos, independente dos fatos que levaram cada brasileiro a sua realidade.

Que taça de cristal ou copo de requeijão você está segurando? A esperança do Brasil sempre estará nos brindes daqueles que conseguiram sua taças de cristal com dignidade e os que, buscando tornarem-se autores da sua história, erguem seus copos de requeijão conscientes de que esta é a única escolha que não tiveram a opção de fazer nas suas vidas. Que a justiça lave a jato todos os proprietários de taças de cristal e copos de requeijão que azedam o nosso vinho de cada dia. Tim, Tim, e um Brasil melhor para todos nós.

Compartilhe isto: