Publicado às 10h19 desta sexta-feira (1)

O fim do recesso parlamentar de 60 dias na Câmara Municipal de Serra Talhada (CMST) está com os dias contados. Esta é a opinião do vereador do Partido da República (PR), Antonio de Antenor, que ingressa na próxima segunda-feira (4) com o projeto de lei que deverá ser lido, e caso não haja ‘manobras’ por parte da presidência da Câmara, poderá entrar em votação no dia 11 de dezembro.

Em conversa com a reportagem do Farol de Notícias, o vereador republicano justificou as razões de ingressar ainda este ano com o projeto que já causa alvoroços na base governista.

“Não tem mais como ficar com esta proposta engavetada. A sociedade cobra esta postura nossa. É uma questão de bom senso e moralidade. Afogados da Ingazeira e outros municípios já avançaram e por que nós ainda estamos com o regime de recesso dobrado?”, relembrou Antenor, registrando que o o projeto já conta com o apoio de todos os parlamentares da oposição e de alguns vereadores governistas como Manoel Enfermeiro (PT), Sinézio Rodrigues (PT) e Rosimério de Cuca (PMN).

Mas se o autor do projeto já conquistou votos na bancada governista, difícil e complicado será contar com o apoio do presidente da Câmara, Nailson Gomes (PTC), que já declarou ser contra a redução do recesso e cabe ao presidente, a missão de fazer tramitar o projeto na Casa Joaquim de Souza Melo.

Compartilhe isto: