dinheiroDe acordo com a legislação, esta sexta-feira (19), é o último dia para que os prefeitos quitem o 13º dos servidores e cargos comissionados. A cidade de Afogados da Ingazeira, por exemplo, injeta neste fim de semana cerca de R$ 1,5 milhão na economia e paga o benefício a todos os servidores. Mas, em Serra Talhada, a situação é muito diferente. Todos os dias, a redação do FAROL recebe emails de servidores que temem um calote por parte do governo Luciano Duque. O problema é que não há previsão por parte da administração para o pagamento.

Veja também:   Betânia comemora entrega de kits para ACS

“Passei no setor de finanças ontem (quinta-feira) e fui informado que o 13º salário seria pago, mas não souberam responder quando isto vai acontecer. Assim fica difícil para quem é servidor público e precisa se programar para o final do ano”, lamentou Marcelo Martins, que trabalha na Procuradoria Jurídica Municipal. Mas, a incerteza não atinge apenas os efetivos, muitos contratados e cargos comissionados garantem que além do atraso de salários, temem não receber o tão sonhado 13º.

SALGUEIRO

Já a vizinha cidade de Salgueiro, no Sertão Central, que é administrada pelo PSB, dá uma aula de como otimizar os recursos públicos. O prefeito Marcones Libório (PSB) pagou o benefício no último dia 10 de dezembro a cerca de 2 mil servidores. Juntando com a folha de pagamento de dezembro, foram cerca de R$ 5 milhões injetados na economia.

Veja também:   PodAmor entrevista Ítala Carvalho e realiza sorteios de brindes

“Já é uma tradição de mais de doze anos, manter o calendário dos salários em dia, sem nenhum atraso, como também antecipar o 13º, o que se traduz numa administração comprometida com a folha e os direitos do funcionalismo”, destacou o secretário de Finanças, João Gomes. A reportagem do FAROL ligou por várias vezes para a secretária de Finanças, Cibelle Alves, mas ela não respondeu às ligações.