Do G1

Quanto vai demorar para termos uma vacina contra o novo coronavírus? Quem está mais à frente nesta corrida? Neste episódio, Renata Lo Prete conversa com o biólogo e doutor em imunologia Gustavo Cabral e também com o repórter do Fantástico Álvaro Pereira Júnior. Cabral, do grupo de pesquisa do Incor (USP) que desenvolve uma vacina, explica as etapas até chegar à imunização eficaz e responde qual a previsão para os trabalhos serem concluídos. Álvaro fala quais países estão na busca por uma vacina e quem desponta como favorito nessa descoberta que pode valer bilhões de dólares.

Ela ainda nem existe, mas já é alvo de disputa internacional. Além da já deflagrada disputa sanitária entre Estados Unidos e China, entram em campo também no desenvolvimento de uma vacina para o coronavírus o Reino Unido, a Alemanha e a França.

As previsões para a data de entrega de uma primeira vacina que proteja da Covid-19 variam muito: os mais otimistas dizem que é possível haver uma solução nos próximos meses, prazo que parece irreal comparado com o recorde atual de desenvolvimento de uma vacina pela ciência, que é de quatro anos.

Uma das pesquisas mais promissoras está sendo desenvolvida na Alemanha: os primeiros testes clínicos já foram aprovados. No Reino Unido, a Universidade de Oxford já tem vacinas para outros tipos de coronavírus, os que causam a SARS e a MERS, e seus cientistas já apresentaram um modelo que mostra eficácia em estudo pequeno com macacos.

Dos Estados Unidos veio a notícia que de que a empresa de biotecnologia Moderna obteve resultados “positivos preliminares” na fase inicial de ensaios clínicos de sua vacina contra o coronavírus. Segundo a empresa, a vacina produziu resposta imune em oito pacientes que a receberam.

E na China, o presidente Xi Jinping prometeu nesta segunda-feira (18) que o país terá uma vacina e irá compartilhar a solução para todo o mundo – e ainda doar mais US$ 2 bilhões para o enfrentamento da pandemia. A notícia repercutiu bem por lá e as bolsas chinesas passaram a operar em alta após a declaração do chefe de Estado do país. A China, hoje, é quem está na frente na corrida pela vacina contra o coronavírus.

Neste episódio, Renata Lo Prete conversa com o biólogo e doutor em imunologia Gustavo Cabral e também com o repórter do Fantástico Álvaro Pereira Júnior. Cabral, do grupo de pesquisa do Incor (USP) que desenvolve uma vacina, explica as etapas até chegar à imunização eficaz e responde qual a previsão para os trabalhos serem concluídos. Álvaro fala quais países estão na busca por uma vacina e quem desponta como favorito nessa descoberta que pode valer bilhões de dólares.