Publicado às 04h58 desta segunda-feira (21)

Por Dr. Leandro Lucena, professor de estatística da UFRPE-UAST

O cenário em Serra Talhada está cada vez mais caótico, os números só aumentam e consequentemente os óbitos se concretizando. Na última semana foram registrados seis óbitos decorrentes do COVID-19, os leitos de UTI se encontram com mais de 82% de ocupação, e infelizmente a Gestão Municipal insiste na TESE de que tudo esta sobre controle e que estão no “Platô de estabilidade”.

Parece que até a Gestão Municipal não sabe o que relata, pois o significado da palavra Platô na pandemia significa o seguinte: “é o momento em que a curva de incidência de casos começa a dobrar”, ou seja, a curva vem em crescimento até o “pico” e depois começa a cair, no momento em que a curva começa a cair é chamado de platô, isto ocorreu no dia 15 de agosto, como foi previsto e relatado em entrevista ao programa Xeque-Mate.

Infelizmente a Gestão Municipal não tem um plano de combate ao COVID-19, uma política pública de saúde para combater o avanço da COVID-19 no município, se limitando apenas na realização de testes rápidos. O avanço da COVID-19 está crescendo em todos os quatro cantos do mundo, exceto no município de Serra Talhada onde tudo é “lindo e maravilhoso”, como relata os gestores e secretários do município, negando todos os acontecimentos de avanço da COVID-19, e tudo o que acontece é culpa da população. Até o aliado do Governo Municipal, o Dr. Waldir Tenório afirmou em entrevista ao programa Falando Francamente no dia 18/12 que Serra Talhada vive o momento da segunda onda do COVID-19.

Os números relatados diariamente nos boletins divulgados pela Secretaria de Saúde corroboram para a teoria de fim de primeira onda e início da segunda onda. Como é que não houve avanço da COVID-19 em Serra Talhada, se em apenas 18 dias do mês de dezembro já foram registrados 399 novos casos e sete óbitos. O mês de outubro, mês em que foi registrado o menor número de casos depois da primeira onda, foram registrados 388 novos casos e dois óbitos, figura abaixo:

Veja também:   3ª noite em ST foi de emoção com Quinteto à Noda de Caju

Os números não param de crescer em Serra Talhada, que contabiliza 5.380 casos acumulados de COVID-19 e 73 óbitos, levando a uma mortalidade de 8,5 para cada mil habitantes e uma letalidade de 1,36%.

A Figura abaixo (comportamento diário de casos) demostram que atualmente o município vive o mesmo comportamento do início da primeira onda (meses de maio e junho), o que nos leva a crer de fato que estamos vivendo o início da segunda onda.

Com este comportamento atual do vírus no município e levando em consideração o modelo estatístico com margem de erro de 5% para mais ou para menos é esperado para 21/12 o registro entre 35 e 60 novos casos, chegando a registrar entre 5.415 a 5.440 casos.