Abin identifica espião russo em embaixada de Brasília
Foto: Reprodução / Metrópoles

Do Metrópoles

Agência Brasileira de Inteligência (Abin) identificou um espião russo se passando por diplomata da Embaixada da Rússia em Brasília (DF).

Segundo a agência, o integrante de um dos serviços russos de inteligência visava cooptar brasileiros como informantes.

De acordo com a Folha, o objetivo de Chumilov era reunir informações sobre determinados setores ou temas do Brasil de interesse do serviço de inteligência russo do qual fazia parte.

Chumilov chegou ao Brasil em 2018 para assumir o posto de primeiro-secretário na Embaixada da Rússia, conforme informações do Itamaraty. Embora estivesse legalmente no país, ele usava da posição de diplomata para desempenhar os atos de espionagem.

Veja também:   Espião russo que teria se passado por brasileiro é preso

A reportagem mostra que o espião também se identificava como representante da Casa Russa no Brasil (Russky Dom), ligada à Rossotrudnichestvo, agência russa “cuja principal missão é fortalecer a influência humanitária da Rússia no mundo”.

Modus operandi do espião russo

Ainda segundo a Folha, um dos métodos do espião russo para conseguir informantes brasileiros baseava-se na oferta de bolsas de estudos e programas de intercâmbio na Rússia a estudantes e acadêmicos.

Integrantes da Abin relataram ao jornal que, em diversos casos, essas pessoas tornaram-se fontes do espião, mesmo “sem perceber”. O objetivo era transformá-los em “fontes humanas”.

Veja também:   Governo demite servidores da Abin presos por espionagem ilegal

O que dizem as autoridades brasileiras

Itamaraty informou que monitora a situação, mas destacou que “não comenta publicamente casos dessa natureza por seu caráter sigiloso”. A Embaixada da Rússia não se manifestou.