A temperatura subiu durante a sessão ordinária da Câmara Municipal de Serra Talhada (CMST), nesta segunda-feira (16), quando os vereadores Sinézio Rodrigues (PT) e José RaimundoFilho (PTB) cobraram do prefeito Luciano Duque (PT) respeito quanto a Lei Orgânica do Município (LOM) que obriga o gestor a responder todos os pedidos de informações feitos pelos vereadores.

De pronto, José Raimundo criticou o secretário de Governo, Josembergues Melo; que até agora não enviou respostas sobre alguns requerimentos. Entre eles, o que revela os nomes da escola privada e do restaurante que tiveram suas contas de energia elétrica pagas pela prefeitura.

“Esta casa precisa ser valorizada. O secretário Josembergues enviou apenas parte dos pedidos de informações feitos pela Câmara. O líder do governo, Nailson Gomes, ligou cinco ou seis vezes para o secretário cobrando respostas e nada. Tem que ser registrado esta falta de respeito do secretário do governo”, disse Raimundo. A revelação do pagamento das contas de energia elétrica foi feita pelo próprio prefeito Luciano Duque, durante assembleia dos professores.

Já o vereador petista Sinézio Rodrigues, também cobrou transparência com relação aos gastos feitos na Secretaria de Educação e no Instituto de Previdência Própria (IPPST). “Quero saber de todos os repasses feitos para educação desde o mês de janeiro. O prazo de respostas está se esgotando. Embora faça parte da base do governo tenho uma postura de independência e não de submissão”, declarou o petista. Sinézio e José Raimundo subscreveram um requerimento que propõe a realização de uma audiência pública sobre o Instituto de Previdência de Serra Talhada.

 

 

 

 

 

Veja também:   Sebrae realiza Semana do MEI em vários municípios e inclui ST