Adultos que passam horas no celular podem desenvolver TDAH
Pessoas que usam muito celular podem ter TDAH – crédito: Reprodução Unsplash)

O transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH) está aumentando entre os adultos e os pesquisadores acreditam que os aparelhos de telefone celular podem ser os culpados.

Os médicos têm tentado descobrir se o aumento constante do TDAH na idade adulta se deve simplesmente a um melhor diagnóstico ou a fatores ambientais e comportamentais, como o uso constante da tecnologia.

Receba as manchetes do Farol de Notícias em primeira mão WhatsApp (clique aqui)

Um estudo publicado no Journal of the American Medical Association relacionou as pessoas que usam seus smartphones por duas ou mais horas por dia a um risco 10% maior de desenvolver o transtorno.

O TDAH é um distúrbio de saúde mental que pode fazer com que as pessoas tenham uma capacidade de atenção limitada, hiperatividade ou impulsividade. O distúrbio é normalmente diagnosticado em crianças pequenas.

Veja também:   Bandidos assaltam jovem em Serra Talhada

Historicamente, o TDAH tem sido definido como um distúrbio genético que pode ser controlado por meio de medicação e terapia. Mas os pesquisadores descobriram agora que as mudanças no estilo de vida mais tarde, como tornar-se muito dependente do smartphone, podem tornar o TDAH um distúrbio adquirido.

Entenda o motivo

Eles teorizam que a mídia social bombardeia as pessoas com informações constantes, fazendo com que elas façam pausas frequentes em suas tarefas para verificar o telefone.

Logo, estima-se que as pessoas que passam o tempo livre usando tecnologia não estão permitindo que o cérebro descanse e se concentre em uma única tarefa, e as distrações combinadas podem fazer com que os adultos desenvolvam períodos de atenção mais curtos e se distraiam facilmente.

Veja também:   Cuba decreta luto por morte de 108 pessoas

“É legítimo analisar a possibilidade de déficit de atenção adquirido”, disse John Ratey, professor clínico associado de psiquiatria da Harvard Medical School. Ele disse que as pessoas são constantemente pressionadas a realizar várias tarefas na sociedade atual e o uso onipresente da tecnologia pode causar vício em telas, o que pode levar a uma menor capacidade de atenção.

De acordo com o estudo, as evidências sugerem que a tecnologia afeta a função cerebral e o comportamento, levando ao aumento dos sintomas do TDAH, incluindo inteligência emocional e social prejudicada, vício em tecnologia, isolamento social, desenvolvimento cerebral prejudicado e sono interrompido.

Números sobem

A pesquisa também notou que o número de adultos diagnosticados com TDAH em todo o mundo saltou de 4,4%, em 2003, para 6,3%, em 2020. Estima-se que 8,7 milhões de adultos nos EUA tenham TDAH, enquanto cerca de 6 milhões de crianças de 3 a 17 anos de idade são diagnosticadas, de acordo com os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC).

Veja também:   Como a mudança climática está alterando o eixo de rotação da Terra

Por fim, a pesquisa recomenda que os adultos que desejam se livrar dos efeitos colaterais indesejados que acompanham o uso excessivo de seus smartphones devem tomar medidas para desenvolver um relacionamento saudável com a tecnologia, incluindo passar menos tempo ao telefone, estabelecer limites de tempo de uso e tirar um tempo para descansar longe da tecnologia.