máquina

Na manhã desta segunda-feira (9), na praça de alimentação da feira-livre de Serra Talhada, um protótipo de uma máquina debulhadora de vagens de feijão-verde foi apresentado ao público. O projeto foi iniciado pelo pesquisador do IPA (Instituto Agronômico de Pernambuco) Paulo Miranda, em 1980, e foi retomado em 2010 por pesquisador em máquinas agrícolas  Antônio Timóteo Sobrinho do IPA, mentor e executor do projeto, sob o patrocínio do CNPq (Conselho Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento Científico e Tecnológico), Coordenação da UFRPE e execução do IPA.

“A nossa intenção aqui hoje não é fazer marketing da máquina, pois é somente um protótipo, mas submetê-la às críticas, ressalvas e sugestões do público. Ainda não temos uma data certa para o lançamento da máquina no comércio para ser vendida, primeiro alguma indústria tem que se apresentar para produzir a máquina em série, mas eu imagino que ano que vem a máquina já estará no mercado”, disse Timóteo, informando que a máquina traz a vantagem de produzir a higienização do grão e a debulhação em larga escala. “Pode debulhar cerca de 200 quilos por hora”, disse Antônio Timóteo Sobrinho.

Veja também:   FOTO NOTÍCIA: STTRANS realiza parceria e faz blitz nas ruas de Serra Talhada

Características da máquina debulhadora

feijão

Operação e desempenho: o protótipo desenvolvido como modelo para fabricação em série adota os sistema de fluxo contínuo. O fluxo intermitente consiste em abrir e carregar a máquina, operar extraindo os grãos e, depois, abrir e descarregar as cascas, o que representa grande economia de tempo.

Maturação dos grãos: a maturação dos grãos é avaliado pelo teor de água neles contido. Grãos secos apresentam teor de umidade entre 13% e 25%; grãos maduros entre 25% e 40%; e acima de 40% classifica-se o feijão como verde. Para a debulhadora mecânica recomenda-se o teor de umidade dos grãos entre 50% e 60%.

Veja também:   Bandido invade e depreda casa no Centro de ST

Produtividade: o tempo gasto na debulha manual  do feijão-verde constitui um parâmetro balizador. Em média, uma pessoa debulha um quilo e 350 gramas de grãos de feijão-verde por hora. Essa máquina pode debulhar 200kg de vagens em uma hora. As perdas são inferiores a 2,5% e o índice de grãos injuriados (quebrados ou rachados) é inferior a 1%.

Segurança: todas as peças externas da máquina dotadas de movimento são protegidas por uma capa metálica.

Higiene: todas as peças de contato com o produto são confeccionadas em aço inoxidável. Adicionalmente, tanto o eixo rotor, dotado de raios, quanto o próprio cilindro vazado são facilmente desmontáveis, o que facilita a lavagem dessas peças após a operação.

Peso e portabilidade: a máquina tem peso de 256kg, com as seguintes dimensões: 2.ooo mm x 1.120mm x 1.670 mm, podendo ser desmontada facilmente. É montada sobre rodas, de modo que duas pessoas podem movimentá-la sem grande dificuldade.

Veja também:   Conheça os Slots jogos online mais populares

Motor e quadro de comando: o quadro de comando é alimentado por corrente monofásica em 220V, permitindo ligar e desligar o conjunto, acionar o motor trifásico de 1.750 rpm e 2cv, inverter o sentido e variar sua rotação mediante um inversor de frequência. Além disso, acionar e variar a frequência de vibração da calha coletora de grãos mediante um vibrador eletromagnético e, ainda, acionar a ventoinha do sistema de limpeza de grãos.

O projeto prevê a geração de dois modelos:

1) debulhadora para bancada: com menor produção, é destinado a quitandas, supermercados e restaurantes (em fase de construção no SENAI).

2) debulhador sobre rodas: com maior capacidade de produção, é destinado a atacadistas e produtores de feijão-verde em vagens.