Foto: Farol de Notícias/Celso Garcia

Publicado às 05h05 desta terça-feira (12)

A postura do médico e pré-candidato a deputado federal pelo Solidariedade (SD), Waldir Tenório Júnior, é o reflexo do ‘racha’ instalado no grupo liderado pela prefeita de Serra Talhada, Márcia Conrado, que acaba de anunciar apoio ao pré-candidato a governador pelo PSB, Danilo Cabral. Tenório, assim como o ex-prefeito Luciano Duque, já fazem movimentações em torno da pré-candidatura de Marília Arraes. Nessa segunda-feira (11), no programa Falando Francamente, na TV Farol, ele disse ver com a naturalidade o apoio da prefeita e 12 vereadores ao PSB, mas criticou os socialistas que devem usar a ‘máquina pública’ para alavancar o nome de Cabral.

“Os candidatos do PT que hoje aí estão, desejo sorte a todos eles, mas que estão tentando desconfigurar isso por talvez manobra própria, interesse próprio, vão se dar mal. Porque a população e a grande massa petista não está vestindo a camisa não, pelo contrário. Está vestindo a camisa de Marília Arraes e eu tenho certeza, como 2 e 2 são 4, que ela vai ser reconhecida pela grande injustiça que aconteceu em 2018. Talvez, eu falar alguma coisa sobre isso, me posicionando, eu vou ter conflito de interesses. Se eu não tivesse do lado de nenhum dos dois, sem apoiar nenhum dos dois. Mas estou, não do lado de Danilo, jamais. Mas nós três [Eu, Márcia e Luciano] fazemos parte do mesmo grupo e é aquilo que a gente já comentou aqui. Respeito demais a posição da prefeita, então, no que for em outro âmbito a gente está junto e misturado. Mas relacionado ao governador não tem como eu pedir voto para outra pessoa a não ser para Marília Arraes na nossa pré-campanha e na nossa campanha”, ressaltou.

Veja também:   Diretoria da Asserpe é reeleita nessa quinta-feira

USO DA MÁQUINA E SENTIMENTO DAS RUAS

Clica no vídeo e assista à entrevista 

Ainda durante a entrevista, e sem saber que a prefeita Márcia Conrado conquistou o compromisso do governador Paulo Câmara, de liberar cerca de R$ 9 milhões para pavimentação de ruas em Serra Talhada, Waldir Tenório alertou sobre a possibilidade de uso da ‘máquina’ pelo PSB.

“E vai ser como sempre foi, as disputas acirradas e vão colocar a máquina que vem lá de cima, que é a máquina do governo do PSB. A gente sabe muito bem que vão usar a máquina. A gente viu isso nas eleições de Recife, eu participei das eleições de Recife com Marília lá e no dia da eleição eu estava lá participando, Duque também estava lá participando. E a gente viu o que é a força, eles estão muito fortes financeiramente, sabem fazer a máquina moer e estão começando a fazer. Mas, maior do que qualquer máquina é o povo, e quando o povo quer. Esse é o sentimento que a gente vê nas ruas, eu fico procurando onde estão alguns lotes de pesquisas e as pesquisas vão mostrar isso”, disse Waldir Tenório, reforçando:

“Quando a gente anda na rua o sentimento do povo é de mudança, o sentimento do povo é não ao que está aí, não ao PSB, não a esse governador que está aí. E não a essa pessoa que é o pré-candidato do governo que é Danilo Cabral, que foi um cara que não tem nada a ver com Lula. Está uma barra forçada, toda hora a gente vê na televisão ‘estava com Lula’, ‘Estive com Lula’. Ele deveria ir lá e dizer: ‘eu votei contra Dilma’, ‘eu votei pelo Impeachment’, ‘eu era anti PT’, ‘eu votei contra o PT’, ‘esculhambei o PT’ E agora está colado com o PT? Então, as articulações políticas lá em cima são outra coisa. Mas aqui embaixo o povo não pode ser matéria, não pode ser marionete. Tem que entender como diz no vulgar, o gato não pode está correndo para um lado e para outro não. O povo não é mais besta, o povo assiste televisão. Eu sei que a política, às vezes, tem algumas coisas que a gente diverge.  Como a gente está divergindo agora da opinião da prefeita Márcia, Luciano está divergindo, em termos de escolhas para governador. Isso é a democracia, ela tem uma coerência para poder chegar nesse ponto”.

Veja também:   Vizinho denuncia Antonio do Caldo de Cana por barulho em Serra Talhada