Publicado às 06h desta quinta-feira (5)

No último domingo (1º) a dona de casa Claudiale Feitoza, 23 anos, teve sua cadela envenenada na porta de casa. Segundo Claudiale, ela sempre soltava o animal da raça poodle durante a noite, para dar uma volta na Rua Monsenhor Pinto de Campos, no Bairro São Cristóvão, em Serra Talhada, mas no dia 1º a cadela ficou parada na calçada e não se mexia, quando a dona de casa viu a cadelinha estava vomitando sangue e sem conseguir anadar, ela não resistiu.

“No domingo a noite soltei minha cachorra na rua como e de costume. Ela passeia e volta pra casa, como sempre ela passeou e voltou ficou na calçada. Quando eu chamei ela não saia do canto. Então fui pega-la e já tava dando os últimos suspiros. Não conseguia se mexer e estava colocando sangue pela boca. Eu peguei ela no braço mais ela só conseguia mexer os olhinhos me acompanhando. Vi ela dando o último suspiro. Ainda não consigo acreditar na crueldade humana. Como pode seres humanos fazer isso?!”, disse a dona de casa, fazendo um apelo.

“Minha cachorrinha se foi e junto dela foi um pedacinho do meu coração. Deixando a certeza que a pior doença do mundo é o ser humano. Lembrando também que no começo do ano quando meu esposo foi tirar o carro da garagem e tinha 3 gatos mortos também envenenados. Só queria pedir pra que pessoas que fazem isso pague pelo que fizeram. Sei que a minha cachorrinha não volta, mas isso tem que parar imediatamente. Ela não foi a primeira, mais poderia ser a última a morrer envenenada”,

Veja também:   As cores revelam o dia a dia em Serra Talhada nos anos 50