Do Diario de Pernambuco 

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou nesta segunda-feira (19/7) a realização de um estudo clínico para avaliar segurança, eficácia e imunogenicidade de uma terceira dose da vacina da AstraZeneca.

O reforço será aplicado entre 11 e 13 meses após a segunda dose. Participarão do estudo, 10 mil voluntários que já foram imunizados com as duas doses da AstraZeneca com um intervalo de quatro semanas, da Bahia, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Rio Grande do Norte e São Paulo.
O estudo será simples-cego, ou seja, somente o voluntário não saberá se tomou a vacina ou placebo. Após o término da pesquisa, os que tiverem tomado placedo poderão tomar o imunizante. Os voluntários selecionados serão profissionais de saúde, que estão mais expostos a infecção pela Covid-19.
Estudo com remédio
Nesta segunda-feira (19/7), a Anvisa também autorizou um estudo clínico para avaliar a segurança e eficácia do medicamento Proxalutamida para reduzir a infecção pelo coronavírus.
De acordo com a Anvisa, trata-se de um estudo de fase 3, randomizado, duplo-cego, ou seja, nem os participantes nem os aplicadores saberão quem tomou o remédio e quem tomou placebo. Participarão 12 voluntários de Roraima e 38 de São Paulo.
O estudo é patrocinado pela empresa chinesa Suzhou Kintor Pharmaceuticals. Além do Brasil, os testes também serão realizados na Alemanha, Argentina, África do Sul, Ucrânia, México e Estados Unidos.