violencia contra a mulherNo Dia Internacional de Combate à Violência Contra a Mulher, Serra Talhada amarga tristes números que comprovam o avanço de assassinatos de mulheres na Capital do Xaxado. Em quatro anos, o número de feminicídios cresceu 200%, segundo dados coletados pelo FAROL junto à Delegacia de Polícia Civil. O único caso registrado em 2013, foi no dia 24 de agosto (relembre) o corpo da jovem Lucineide Soares foi localizado nas proximidades da margem do Rio Pajeú, no assentamento Malhada da Pedra, na zona rural.

Em novembro de 2014, dois feminicídios foram registrados, o primeiro deles com a doméstica Jovinalda Adryeli Trajino de Souza, de apenas 18 anos, que residia no bairro do Bom Jesus. A jovem foi morta com dois tiros na cabeça pelo seu companheiro identificado apenas como “Joel”, de 41 anos. Cinco meses antes, Jovinalda Trajino teria denunciado o companheiro na delegacia por agressão (releia). Ainda em 2014, Eliane Pereira foi a segunda vítima da violência contra as mulheres na cidade.

Veja também:   Homens assaltam mulheres no São Cristóvão e levam R$ 800; moto também é roubada no Vila Bela

Já em maio de 2015, a dona de casa Francielba Vieira da Silva, 31 anos, foi alvejada com três tiros, sendo um no peito e dois na barriga, disparados pelo seu seu ex-companheiro, dentro da sua residência (acesse aqui). De acordo com a polícia, há suspeitas que o crime tenha sido motivado por ciúmes. O casal estava separado e pela manhã, houve uma grande discussão entre ambos, culminando num acordo no MPPE, em que ficou acertado que o ex-companheiro deveria ficar afastado de Francielba Vieira. À noite, a tragédia aconteceu.

Veja também:   CÔNEGO TORRES: Tragédias que marcaram a história do antigo 'Colégio do Açude'

MORTES EM 2016

Este ano já contabilizou 40 homicídios em Serra Talhada, destes três são de mulheres. Com o passar dos anos não só aumentaram os casos de mulheres assassinadas, mas também aumentou a violência e brutalidade dos assassinos. O primeiro caso de 2016 ocorreu em outubro, quando a vendedora Maria Teodósio Pereira, 33 anos, moradora da Cohab, foi assassinada a pauladas pelo próprio marido, Everaldo Pereira da Silva, 36 anos. Maria Teodósio também havia prestado queixa contra o companheiro por duas vezes na delegacia.

Veja também:   Homem se recusa a usar capacete e é detido em ST

Um dos crimes mais brutais deste balanço foi o assassinato de Maria de Fátima Blandino dos Santos, 47 anos. O corpo dela acabou encontrado dentro de um matagal, numa região de esgoto, no Centro da cidade. “Mariinha” como era conhecida, estava com a cabeça enterrada na lama e com sinais de violência sexual (leia aqui). O último caso registrado foi o feminicídio Josineide Rodrigues, de 39 anos, que foi assassinada a tiros no dia 23 de novembro, na Rua São Pedro, no bairro Borborema (veja a matéria).