Fotos: Alejandro García

Audiência Pública realizada pela Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) para discutir os problemas em torno do transporte de passageiros em caminhões paus de arara atraiu centenas de agricultores e estudantes da zona rural. Todos estavam interessados em debater soluções, junto aos órgãos competentes, para o tráfego de veículos precários, assim considerados pelo Contran (Código Nacional de Trânsito). Nesta quinta-feira (13), o deputado Manoel Santos (PT), que foi o autor da proposta e presidiu os debates na Câmara de Vereadores, não escondeu o desconforto com a ausência da Polícia Rodoviária Federal (PRF) e do Departamento Nacional de Infraestrutura Terrestre (Dnit).

“Quero lamentar a ausência de um representante da Polícia Rodoviária Federal (PRF) porque é a autoridade vinculada diretamente ao problema e tem a responsabilidade da fiscalização”, disse o deputado, afirmando que o superintendente da PRF, Walter Barbosa, teria informado as razões da sua ausência. Fato que não ocorreu por parte do representante do DNIT. “Este não é apenas mais uma audiência para agradar as pessoas. Queremos soluções e saídas. Os agricultores estão entre a cruz e a espada”, desabafou o deputado petista.

Uma tese que foi defendida pela maioria dos debatedores foi uma suposta perseguição aos agricultores de Serra Talhada, devido a implacável fiscalização da Polícia Rodoviária, punindo os motoristas que insistem em transportar estudantes e e agricultores em caminhões F4000.

DEPUTADO MANOEL SANTOS FOI O AUTOR DA PROPOSTA DE AUDIÊNCIA PÚBLICA

PERSEGUIÇÃO A SERRA TALHADA

“Foi criado um clima de insegurança em Serra Talhada e se faz necessário um pronunciamento imediato da PRF. Por que esta exclusividade de fiscalização apenas em Serra Talhada? A polícia tem que dizer porque em outras áreas do estado estão agindo com venda nos olhos”, declarou o deputado Augusto César (PTB).

Após duas horas de debates, foi criada uma comissão para entregar um relatório de sugestões a superintendência da Polícia Rodoviária Federal e o presidente da Câmara de Vereadores, José Raimundo Filho, propôs colocar frente a frente os representantes do Departamento de Estradas e Rodagens (DER) e Dnit.

“Um fica jogando a responsabilidade para o outro”, disse Raimundo. Também ficou decidido a reivindicação de um prazo para os motoristas adaptarem os seus veículos de passageiros.