Autor de ataque a tiros em boate LGBTQ+ nos EUA enfrenta novas acusações

Anderson Lee Aldrich, de 23 anos – Foto: Colorado Springs Police Department/AFP

Por Folha de Pernambuco

O homem que matou a tiros cinco pessoas em uma boate LGBTQ+ do Colorado em 2022 foi acusado de crimes de ódio na esfera federal, anunciou nesta terça-feira (16) o Departamento de Justiça dos Estados Unidos.

Anderson Lee Aldrich, que se identifica como não-binário, invadiu em 19 de novembro de 2022 o Clube Q da cidade de Colorado Springs, noroeste do país, e abriu fogo contra os clientes. Além de cinco mortos, o ataque deixou 19 feridos.

Veja também:   Estados Unidos indicam aumento na repressão ao uso recreativo da maconha

Aldrich, 23, foi condenado em junho passado pela justiça estadual a cinco penas de prisão perpétua sem possibilidade de liberdade condicional. Ele enfrenta agora acusações federais por crimes de ódio e violações do uso e porte de armas.
Inicialmente, o acusado, que está preso em Wyoming, declarou-se inocente, mas, segundo informações do Departamento de Justiça, Aldrich “solicitou que o tribunal agendasse uma audiência de mudança de declaração”.

“As partes (no julgamento) também informaram ao tribunal que existe um acordo de declaração de culpabilidade nesse assunto, e prevê-se que o acusado tenha concordado em se declarar culpado de todas as acusações”, indicou o Departamento de Justiça.

Veja também:   Papa Francisco pede que mundo "detenha os senhores da guerra"

Segundo a imprensa local, a negociação de um acordo teria o objetivo de evitar a pena de morte. A data dessa audiência ainda não foi definida.