Fotos enviadas pelos proprietários

Publicado às 13h desta terça-feira (10)

Indignado com a falta de segurança na Estação do Forró, em Serra Talhada, e após ter o estabelecimento furtado pela 30ª vez, Gui Rodrigues, 23 anos, e a mãe Jucileide Maria Rodrigues, 39 anos, proprietária do Boteco da Estação cobram mais segurança. Segundo o jovem, estão trabalhando apenas para a bandidagem. Os dois últimos arrombamentos ocorreram terça-feira (3) e na madrugada desta terça-feira (10).

”Já arrombaram aqui 30 vezes, a gente não aguenta ser mais roubado, aqui não tem guarda, a gente trabalha para esses ladrões, roubaram semana passada e roubaram hoje. Nos outros, a gente foi registrar o Boletim de Ocorrência (BO), mas esses a gente não foi porque não adianta. De outra vez a polícia pegou o bandido com o bujão, mas ele saiu da delegacia primeiro que a gente, depois foi pego de novo com outro roubo, meia hora depois, e pegaram de novo. A polícia faz o trabalho, mas a lei solta”, lamentou Gui Rodrigues, continuando:

”Levaram as bebidas, panelas, pratos, carnes, fizeram a festa, para piorar levaram até a estátua de ferro aqui da Estação, uma obra cultural. Aqui a noite fica muito esquisito, não tem guarda, não tem ninguém aproveitam e usam droga e furtam, a polícia faz o trabalho, de vez em quanto vem, mas depois… A gente quer a Estação melhor, colocando guardas, fazendo mais limpeza. Até os clientes não aguentam mais ver a gente ser roubado, disseram até que ajudam a gente fazer qualquer coisa para melhorar a segurança”.

Veja também:   Após encontro com o governador, Sebastião deve anunciar decisão