Bebê nasce sem olhos e pais só percebem horas após o parto

Do Metrópoles

Um casal inglês descobriu horas após o parto que a filha mais nova deles havia nascido com uma má-formação rara. A bebê não tinha olhos ou nervos ópticos, condição que se chama anoftalmia bilateral.

A pequena Margot Duffy-Moss nasceu em outubro de 2022, em um parto em casa. John, o pai da criança, fez o parto de acordo com a orientação telefônica de uma parteira pois o hospital mais próximo da residência dela estava lotado.

Após o nascimento, uma ambulância foi encaminhada para a casa deles para que a criança fosse levada ao hospital e fizesse os primeiros exames. Nesse momento, a mãe da criança reparou que ela não abria os olhos.

Veja também:   Professores LGBT são demitidos após noivado

“Estava segurando ela e disse a John: ‘John, você acha que está tudo bem? Eu estou achando que algo está errado”, contou a mãe da menina em entrevista ao jornal local The Yorkshire Post. Ela notou que a menina não piscava e que seus olhos pareciam levemente afundados.

Ao chegar ao hospital, os pediatras forçaram a abertura com pinças de metal e notaram que havia a má-formação, mas o diagnóstico definitivo de anoftalmia bilateral chegou apenas no quarto dia de vida dela.

A anoftalmia bilateral

A anoftalmia bilateral é uma condição rara na qual os olhos e os nervos ópticos não se desenvolvem durante a gestação. Ela é congênita (de nascença), mas, na maioria dos casos, não é genética. Embora possa aparecer em exames de ultrassom, não é incomum que os médicos só percebam a condição no nascimento.

Veja também:   Cidade em Portugal é atingida por correnteza de vinho

Não existe tratamento que crie ou restaure a visão, mas as crianças podem receber próteses oculares para fins estéticos.

A vida após o susto

Os conselhos médicos para lidar com o problema são, em geral, orientações sobre como a família pode facilitar a vida do filho.

Os pais de Margot já buscaram uma empresa que treina cães-guia para preparar um animal para a filha. “O projeto dos cães guia tem acompanhado ela desde que nasceu. Sabemos que nossa filha nunca verá, então é importante ela ter esse acompanhamento”, contou John em suas redes sociais.

Veja também:   Obesidade avança 350% em 3 décadas e afeta mais de 1 bilhão

Siga a editoria de Saúde no Instagram e fique por dentro de tudo sobre o assunto!