Beyoncé estreia turnê 'Renaissance' com 36 músicas e menção ao Brasil

Do G1

Beyoncé fez a estreia da turnê “Renaissance” nesta quarta-feira (10), em Estocolmo na Suécia. A apresentação, que durou cerca de três horas, contou com 36 músicas e menção ao Brasil.

A turnê segue pela Europa e depois para a América do Norte. O show final está marcado para o dia 27 de setembro, em Nova Orleans. Segundo o jornal “The Guardian”, com mais de 50 shows em estádios, a cantora deve faturar cerca de US$ 2,4 bilhões. Não há shows agendados no Brasil.

Beyoncé fez o anúncio da turnê oito meses após o lançamento de “Renaissance”, seu sétimo álbum.

Essa é primeira turnê solo de Beyoncé após sete anos. A última, “Formation”, aconteceu em 2016. Depois disso, em 2018, a cantora se apresentou com o marido, Jay-Z, com a “On the run II”.

Setlist

Ao todo, o show de cerca de três horas, teve 36 músicas, sendo 16 delas no último álbum, “Renaissance”, dividas em sete atos.

Veja também:   Primeira-ministra britânica Liz Truss anuncia renúncia

Beyoncé aparece no início da apresentação em uma cena editada em um telão gigante, até surgir no palco para abrir o espetáculo com “Dangerously in Love”. Esta foi seguida por “Flaws and All”, quando a cantora aparece emocionada, e depois por “1+1”, “I’m Goin’ Down”, cover de Mary J. Blidge, e “I Care”.

Na segunda parte, batizada de “Renaissance”, a cantora mostrou “I’m that girl”, “Cozy”, “Alien Superstar”, e “Lift Off”, faixa de Kanye West e Jay-Z em que ela participa. Esta etapa é seguida por “Motherboad”, com as músicas “Cuff it”, “Energy” e “Break My Soul”, com o remix com trecho da música “Vogue”, de Madonna.

Depois, em “Opulance”, já com a pegada mais política, a cantora mostra versões de “Formation”, “Diva”, “Run the world (girls)”, “My Power”, “Black Parade”, um remix de “Savage”, de Megan Thee Stallion em que ela fez um feat, e “Partition”.

Veja também:   Homem confessa que armou para a ex ser presa: 'Fiz por amor'

“Church Girl”, “Get Me Bodied”, “Before I Let Go”, “Rather Die Young”, “Love on Top” e “Crazy in Love” vieram em seguida, no ato “Anoited”. Na continuação, surgiram ainda “Plastic Off the Sofa”, “Virgo’s Groove”, um compilado de “Naughty Girl”, “Say My Name” e “Rocket”, além de “Move”, “Heated”, “Thique”, “All Up in Your Mind” e “Drunk in Love”.

O último bloco, “Mind control”, a cantora mostrou ainda “America has a problem”, “Pure/Honey” e encerrou com “Summer Renaissance”.

Menção ao Brasil

No fim do penúltimo ato, antes de cantar a faixa “Drunk in love”, Beyoncé caminhou pelo palco e notou que brasileiros estavam na plateia.

“Eu vejo que o Brasil está na casa”, disse ao microfone em inglês, antes de subir no globo espelhado para a performance.

Veja também:   Estaleiro diz que subornou Petrobras no governo Fernando Henrique

Tanque de guerra e cavalo voador

Em um dos pontos altos da apresentação, a cantora surge do fundo do palco em cima de um veículo, similar a um tanque de guerra, todo metalizado. Lá de cima, ela entoa a faixa “Black Parade”.

Outro elemento visual que marcou a apresentação foi o cavalo voador todo brilhante. Já no final da apresentação, no último ato, Beyoncé apareceu montada no cavalo e “sobrevoou” o palco ao cantar “Summer Renaissance”.

Figurinos e mais figurinos

As roupas de Beyoncé renderam outro espetáculo. Apareceram um vestido curto com efeito de furta-cor, um body de corpo inteiro dourado com luvas pretas costuradas que cobriam partes estratégicas do corpo, um terno em preto e prata, que lembra uma armadura, e um figurino que remete um ambiente de ficção científica, com um body prata e botas de prata até o joelho.