Publicado às 05h23 desta sexta-feira (3)

Os moradores de Santa Rita, 7º distrito de Serra Talhada, estão vivendo um drama que, segundo uma moradora que pediu anonimato, se estende ao longo de 2 anos. Ela relatou a redação do Farol que durante esse período, lutam para tentar tirar os animais das ruas, devido aos inúmeros transtornos que causan, com abaixo assinado, acordos, recorrendo à Vigilância Sanitária, mas o problema continua sem solução.

A moradora afirmou que vários animais ficam soltos pela vila, ”dando nó em pingo d’água” como: bodes, ovelhas, galinhas, cavalos, todo tipo de animal. Rasgam sacolas de lixo pela vila, deixam dejetos, derrubam as crianças, roubam sacolas de pães, entram nas casas, puxam roupas do varal, quebram caixa d’água e infelizmente também causam acidentes.

”Várias pessoas começaram a ligar para a Secretaria de Saúde, para a Vigilância Sanitária e denunciar, porém, a Vigilância  não toma uma atitude. Sempre que a gente consegue registrar uma denúncia, ou indo pessoalmente, ou por telefone, eles atendem, a gente fala com os responsáveis e dizem que vão resolver. Vêm até o distrito, deixam uma notificação com validade de 15 dias para o prazo de recolher os animais e pagar uma multa, porém nunca voltam. Continuamos fazendo novas denúncias, viram que a gente não ia desistir, vieram novamente, deram a notificação, mas disseram que não tem como apreender porque não tem carro e sempre vão dando desculpas”, disse continuando:

”É previsto na lei que não pode criar nem um tipo de animal solto na vila, pelo menos no raio próximo ao distrito. Foram várias tentativas e nada foi resolvido. Estamos tentando há mais de 2 anos, já fizemos abaixo assinado, já criamos grupos de WhatsApp para tentar resolver e nada, só promessas e quando os moradores tentam fazer qualquer tipo de acordo com os criadores é respondido com violência. A gente já não sabe mais a quem recorrer.”, lamentou esperando uma solução.

Veja também:   Carro capota e mãe de sargento morre