Publicado às 05h38 desta segunda-feira (27)

Por Paulo César Gomes, Professor, escritor e colunista do Farol

Bolsonaro agora virou mãe Diná e quando necessário passa a ter pressentimentos sobre a prisão de ex-ministros, como a de Milton Ribeiro, e também de outros mais chegados, a exemplo de Queiroz da rachadinha que ficou escondido durante meses na casa do advogado Frederick Wassef.

Essa ‘bola de cristal’ foi o motivo da briga de Bolsonaro e Sérgio Moro. Na ocasião, o presidente exigiu que o Diretor Geral da Polícia Federal fosse alguém que lhe passasse todas as informações, fosse a sua ‘bola de cristal’. Encarnando o papel de mãe Diná, Bolsonaro tenta passar a imagem de que nesse governo ‘a corrupção é light’ e o que cidadão que está passando fome, sem ter onde morar e que convive com os aumentos constantes da gasolina e gás não deve se preocupar, até porque a bola de cristal visa proteger aqueles amigos íntimos que mantém projetos que atentam contra o interesse público, na verdades são ações patrocinando os atos de  corrupção no governo federal .

Veja também:   Memorial às Vítimas da Covid em ST usado para consumo de droga

O restante dos brasileiros devem se apegar aos seus santos e orixás, porque do outro lado um bando de ‘Bispos’ que se dizem cristãos estão usando vergonhosamente e criminalmente a bíblia como instrumento de corrupção. Estavam roubando o dinheiro do povo brasileiro. Já  Bolsonaro “mãe Diná” não vai resolver nada, porque ela preocupada com a merda que vem crescendo em seu governo, principalmente com a possibilidade da criação de uma CPI no Senado, sem contar com as constante premonições de que ele perderá a eleição ainda no primeiro turno, as revelações também indicam que será preso logo quando terminar o mandato. A estratégia de Bolsonaro agora é recorrer ao intestino, um órgão extremamente importante para esse país, foi do intestino que saíram as mais importantes decisões de Bolsonaro e esperamos que durante a campanha nada aconteça com o órgão pensante do presidente da República. Foi trágico o fim da mãe Diná e será muito triste o fim do governo Bolsonaro.