Do Diario de Pernambuco

Foto: Marcos Correa/PR

O presidente Jair Bolsonaro afirmou na noite desta quinta-feira (11) que tem pressa em definir os detalhes sobre a prorrogação do auxílio emergencial. A declaração ocorreu em transmissão de live pelas redes sociais. O chefe do Executivo repetiu que a ajuda financeira deverá ser paga a partir de março, em até quatro parcelas.

“Juntamente com o presidente da Câmara, do Senado, a gente estuda prorrogar o auxílio emergencial. Por quantos meses? Três, quatro meses. Não está definido ainda. Qual o valor? Também não está definido. Agora, é uma coisa que tem pressa. Tem que ser a partir de março. Precisamos? Precisamos. E vamos fazer o possível para atender à população. Agora, o ideal é voltar ao emprego. Então, a gente apela para as autoridades municipais e estaduais. Se bem que poucos estados, municípios estão adotando essa política de isolamento do ‘fique em casa’, para que a economia pegue, devemos cuidar dos mais idosos e dos que têm comorbidades”, apontou.

Mais cedo, durante discurso na cerimônia de entrega de títulos de propriedade rural no Centro de Lançamento de Alcântara (CLA), o chefe do Executivo afirmou que a equipe econômica estuda a continuidade do auxílio emergencial, mas destacou que a medida não pode ser eterna e que representa maior endividamento ao país. Ele emendou que ‘o povo quer, na verdade, é trabalho’.